IPS intensifica produção de viseiras com novo processo de trabalho

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) decidiu intensificar a sua produção de viseiras recorrendo a um novo processo, que irá assegurar a execução de aproximadamente 250 unidades – viseiras, por dia.

Entrega aos BV Águas de Moura
publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) decidiu intensificar a sua produção de viseiras recorrendo a um novo processo, que irá assegurar a execução de aproximadamente 250 unidades – viseiras, por dia.

«Ciente da necessidade urgente de equipamentos de proteção individual de quem está na linha da frente no combate à COVID-19 e sensível aos pedidos da comunidade envolvente, que continuam a chegar, e a partir dos vários recursos existentes no laboratório Innovation Lab, instalado na Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal), uma equipa de docentes investigou e desenvolveu um processo para incrementar a produção de viseiras, usando uma fresadora por comando numérico computorizado (CNC), associado a um programa que otimiza o tempo e o número de peças a produzir» refere um comunicado desta instituição de ensino.

A fresadora é uma máquina de movimento contínuo que, entre outras funções, é usada para recortar placas, mediante um programa previamente definido.

Neste caso concreto, pretende-se que recorte placas de PVC para a obtenção das pequenas peças destinadas aos apoios de cabeça, às quais se vão juntar posteriormente as viseiras transparentes.

Este novo processo decorrerá em paralelo à impressão em 3D, que se mantém em laboração também no Innovation Lab, graças uma equipa de perto de 20 voluntários, entre docentes e funcionários, distribuídos em quatro turnos diários.

Mais de 300 viseiras de proteção foram já produzidas nas seis impressoras 3D do IPS, tendo sido entregues a mais de uma dezena de unidades de saúde e de socorro: delegação de Setúbal da Cruz Vermelha Portuguesa, Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa, Centro Hospitalar Barreiro-Montijo (Unidade de Pediatria), Centro de Saúde da Moita, associações de Bombeiros Voluntários da Moita e de Águas de Moura, Centro de Saúde de São Sebastião e várias unidades de Saúde Familiar (USF) de Setúbal (Sado, Luísa Todi, S. Filipe, S. Nicolau e Praça da República) e a USF Conde Saúde, em Sesimbra.

Neste processo, o IPS contou também com o apoio de empresas da região, como a Lauak Aerostructures Setúbal, a Zircom Engenharia, a BEZE – Montras e Stands e a Cityprint.

A equipa multidisciplinar criada no IPS para apoiar a comunidade no combate à pandemia de COVID-19 mantém-se assim empenhada em encontrar formas criativas e eficazes de dar o seu contributo, colocando os recursos da instituição, materiais e humanos, ao serviço de todos.

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome