Atualidade

Instituto de Socorros a Náufragos recebeu 29 viaturas para reforço da vigilância nas praias

- publicidade -

Ad Instalações Centrais de Marinha, junto à Ribeira das Naus, foram o palco esta sexta-feira da cerimónia de entrega de 29 viaturas “Volkswagen Amarok” por parte da SIVA Portugal ao Instituto de Socorros a Náufragos, que iniciam amanhã a sua missão de reforço da vigilância nas praias.

Neste projeto, que celebra o 11.º ano, o Instituto de Socorros a Náufragos e a SIVA Portugal associam-se a mais uma época balnear através do Projeto “SeaWatch”, que tem por objetivo incrementar a segurança na costa e praias portuguesas, em particular as que não têm vigilância permanente.

As viaturas estão também equipadas com desfibrilhadores automáticos externos, com a necessária formação aos tripulantes em suporte básico de vida e desfibrilhação, numa parceria entre o Instituto de Socorros de Náufragos e o “Movimento Salvar Mais Vidas”, que permitirá que os operacionais destas viaturas possam prestar um melhor auxílio nas praias portuguesas, nomeadamente em situações de paragem cardiorrespiratória.

A BP é outro dos parceiros que se associa ao Projeto “SeaWatch”, contribuindo com a cedência de combustível para a operação destas viaturas.

Esta cerimónia, presidida pelo Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, contou com a presença do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada e Autoridade Marítima Nacional, António Mendes Calado, do Diretor-geral da Autoridade Marítima e Comandante-geral da Polícia Marítima, Vice-almirante António Coelho Cândido, da CEO da SIVA, Viktoria Kaufmann, do Presidente da BP, Pedro Oliveira, bem como outras entidades.

Em 2020, o projeto “SeaWatch” possibilitou o salvamento de 58 veraneantes, efetuando 372 assistências de primeiros socorros e 28 buscas com sucesso de crianças perdidas.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui