AlmadaPolítica

IL Almada quer estudo de viabilidade económica do eventual túnel Trafaria-Algés

- publicidade -

A Iniciativa Liberal de Almada exige a realização de um estudo de viabilidade económica do eventual túnel Trafaria-Algés e considera que «em primeiro lugar na prioridade do investimento público deve estar o apoio a empresas e famílias que mais sofreram com a crise» refere um comunicado enviado às redações.

Para o IL «o FMI prevê que, devido à pandemia, Portugal terá uma dívida pública de 135% do PIB e um défice de 7,1% neste ano.

Perante este cenário, a Iniciativa Liberal de Almada considera que qualquer investimento público em infraestruturas deve vir acompanhado de um estudo exaustivo de custo benefício, que ainda não vimos no caso do possível túnel entre a Trafaria e Algés.

Antes de um investimento desta dimensão, que pode ascender aos 700 milhões de euros, defendemos a liberalização do transporte fluvial no Tejo, que permitiria aumentar e melhorar a oferta.

A nova realidade do teletrabalho trará consigo alterações no paradigma da mobilidade entre as duas margens do Tejo. Reiteramos a necessidade de um estudo custo-benefício sério e relembramos que o dinheiro investido neste tipo de obras não será investido, por exemplo, na saúde com a necessidade que todos sabemos existir no distrito de Setúbal.

Face a estas dúvidas, a Iniciativa Liberal de Almada demarca-se das certezas da Presidente do Município de Almada e de alguns partidos da oposição, relativamente ao benefício desta infraestrutura.

O partido liberal não quer que se desperdicem mais recursos retirados às pessoas por via dos impostos, para a construção de infraestruturas cujo impacto ambiental, retorno para a economia e mobilidade é, no mínimo, incerto.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui