DestaqueDistrito SetúbalJustiçaMontijo
Em Destaque

Homicidas da professora do Montijo vão continuar com a mesma pena

Supremo confirmou as penas da filha adotiva e do genro condenados pela morte da professora do Montijo. Diana Fialho e Iúri Mata foram condenado a 24 e 23 anos de prisão.

publicidade

O Supremo Tribunal de Justiça confirmou as penas efetivas da filha adotiva e do genro de Maria Amélia Fialho, a professora que foi morta num crime macabro o ano passado.

Esta terça-feira, o STJ confirmou as penas dos dois homicidas da professora que em julho do ano passado foi morta com golpes de martelo, na casa desta, no Montijo, e por fim atearam fogo ao corpo da professora num terreno em Pegões.

Na altura, o tribunal condenou Diana, de 23 anos, e Iúri, de 27 anos, a 24 e 23 anos de prisão, a sentença decretada ao casal foi muito dura e aponta para o facto de o casal ter praticado o crime com o intuito de ficar com todo o património de Amélia Fialho, na altura com 59 anos.

Na altura da sentença, o tribunal ainda decretou que a homicida ficaria sem direito à herança da mãe adotiva.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui