coronavírus

Governo pondera confinamento geral na primeira quinzena de dezembro para preservar o Natal

publicidade

André Silva, porta-voz do PAN (Pessoas Animais Natureza), admitiu, depois da reunião com o primeiro-ministro, que o Governo para preservar o Natal dos portugueses pondera decretar confinamento geral, na primeira quinzena de dezembro.

A medida como requer a vigência do Estado de Emergência pode ser inviabilizada, mas André Silva afirma que a possibilidade de um novo confinamento em dezembro “foi aflorada em termos de fim de gradualismo, ou como uma medida mais restritiva”.

“Na opinião do primeiro-ministro, se for o caso, essa medida procura antecipar ou prever aquilo que poderá ser um impacto enorme ao nível do Natal, fazendo com que as pessoas fiquem mais consciencializadas e reduzam os contactos. É preciso que se chegue ao Natal com a possibilidade de juntar a família”, completou.

O confianamento em dezembro é uma “medida não está certa e segura, mas que tudo dependerá daquilo que resultar da posição do Presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa] na medida que depende de uma declaração de estado de emergência”.

Já o confinamento geral, “não é um dado adquirido, mas é uma hipótese que está em cima da mesa, antevendo um agravamento do contexto epidemiológico”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui