AtualidadeBarreiroDistrito SetúbalSetúbal

Governo assinou protocolos com instituições de Setúbal para proteger sem-abrigos

- publicidade -

O ministério da Solidariedade assinou hoje com duas instituições de Setúbal protocolos para financiamento de projetos de alojamento para 31 sem-abrigo, elevando para 291 o total de pessoas incluídas nestes programas nacionais.

O anúncio é feito pelo ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em nota enviada às redações, na qual informa que esta manhã (15 de Dezembro) foram assinados em Setúbal dois destes protocolos para 31 pessoas em situação de sem-abrigo, um deles com a Cáritas Diocesana de Setúbal, para financiamento de projetos “Housing First” (destinados a 20 pessoas), e outro com a Associação NOS, do Barreiro, para apartamentos partilhados (que abrange 11 pessoas).

Desde novembro, foram assinados um total de 17 protocolos para financiamento de soluções de alojamento para pessoas em situação de sem-abrigo, ao abrigo da Estratégia Nacional para a Integração das Pessoas em Situação de Sem-Abrigo (ENIPSSA).

«Até ao momento estes protocolos abrangeram 291 pessoas e implicam um investimento anual de cerca de 810 mil euros» refere a nota.

Oito outros protocolos foram assinados na segunda-feira, para garantir soluções de alojamento para pessoas em situação de sem-abrigo, nas tipologias de “Housing First” e de apartamentos partilhados, abrangendo outras 100 pessoas.

Entre eles, o Governo destacou o protocolo celebrado com a Associação Gaivotas da Torre, em Cascais (Lisboa), para projetos de “Housing First” que envolvem 30 pessoas em situação de sem-abrigo, e outros três para alojar um total de 35 pessoas celebrados com a Agência Piaget para o Desenvolvimento (APDES) e a Cruz Vermelha, em Vila Nova de Gaia, e com a Associação para o Desenvolvimento Integrado de Matosinhos, no distrito do Porto.

Também no Algarve foram assinados na segunda-feira protocolos com as associações G.A.T.O. (Loulé) e MAPS (Portimão e Faro), abrangendo 35 pessoas.

Tanto os apartamentos partilhados como a integração de pessoas em casas através do projeto “Housing First”, com o acompanhamento de técnicos, permitem «que estas pessoas possam retomar alguma da sua autonomia, fazendo parte de uma estratégia integrada de intervenção que tem sido desenvolvida junto desta população», destacou hoje a ministra Ana Mendes Godinho.

Na segunda-feira, a ministra já tinha revelado que o objetivo do Governo é assinar protocolos que vão permitir a cerca de 580 pessoas em situação de sem-abrigo ter um teto.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui