AtualidadeDestaque

‘Generalidade do país’ vai desconfinar a partir de segunda-feira

- publicidade -

O Primeiro-ministro está agora a falar ao país, após mais um Conselho de Ministros, e a anunciar a próxima etapa de desconfinamento, e as medidas que vão agora ser aplicadas.

“A evolução de 9 de Março a 14 de Abril é claramente positiva, e com uma redução no bom sentido” referiu António Costa, acrescentando que “infelizmente a outra variável, do ritmo de transmissão, não tem tido uma evolução como esperávamos, estando agora em 1,5-

Consideramos, tal como os especialistas, que estamos agora em condições  de dar o próximo passo e na generalidade do território nacional entrar na próxima fase de desconfinamento na segunda-feira.”

Estas medidas passam por:

– regresso ao ensino presencial dos alunos do ensino do Secundário e Superior;

– atendimento presencial nas lojas do Cidadão, com marcação previa;

– reabertura das salas de cinema e teatro;

– reabertura do serviço de mesa ao balcão, em restaurantes, cafés  e pastelarias, não ultrapassando quatro pessoas no interior ou seis nas esplanadas;

– reabertura das lojas e centros comerciais, cumprindo as normas de lotação;

– regresso dos eventos exteriores, salvo indicação da DGS, com 5 pessoas por metro quadrado;

– permissão da actividade ao ar livre;

– modalidades desportivas de médio risco voltam a poder realizar-se;

– casamentos e baptizados com assistência de 25% da lotação máxima do recinto.

- publicidade -

António Costa deixou um aviso para 13 concelhos que “que vão ter de ter particular atenção  porque estão na zona de risco”, outros 7 que “vão manter as actuais medidas de confinamento, uma vez que apresentam de 120 casos por 100 mil habitantes como há quinze dias, por isso vão manter as regras actuais de confinamento”.A

Quatro concelhos (Mora, Odemira, Portimão e Rio Maior), que ainda apresentam uma taxa de incidência acima de 240/1000, “voltam às regras de confinamento antes do último desconfinamento, com encerramento das esplanadas, venda ao postigo, encerramento de museus e similares”.

A estes António Costa deixou “uma palavra muito em especial aos habitantes e autarcas, porque estas não são medidas de castigo ou prémio, mas sim de garantir a saúde pública”.

As fronteiras terrestres com Espanha vão manter-se encerradas nos próximos quinze dias.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui