Parceiros
Justiça

Fuzileiros acusados de homicídio de Fábio Guerra serão julgados em Tribunal Colectivo

O Ministério Público de Lisboa requereu o julgamento, perante Tribunal Coletivo, de Cláudio Coimbra e Vadym Hrynko, arguidos pela prática de um crime de homicídio qualificado, três crimes de ofensas à integridade física qualificadas e um crime de ofensas à integridade física simples.

Os dois fuzileiros são acusados de, na madrugada de 19 de março de 2022, junto a uma discoteca da cidade de Lisboa, terem agredido agentes da PSP, o que resultou na morte do agente Fábio Guerra, na sequência de ferimentos sofridos.


«Resulta da acusação que as vítimas, ao presenciarem agressões nas quais os arguidos estavam envolvidos, tentaram travá-las, identificando-se como agentes da autoridade, mas acabaram eles próprios por ser agredidos violentamente» refere a acusação a que o Diário do Distrito teve acesso.

«Por temerem represálias dos arguidos, a algumas das testemunhas foi aplicada medida para proteção de testemunhas em processo penal.»

Os arguidos encontram-se em prisão preventiva desde o primeiro interrogatório judicial.

A investigação foi dirigida pelo DIAP de Lisboa, com a coadjuvação da Polícia Judiciária.

Institucional.

O terceiro suspeito, Clóvis Abreu, que garantiu entregar-se às autoridades a troco de proteção, continua a monte e vão ser emitidos novos mandatos de captura nacionais e internacionais.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.