JustiçaNacional

Furacão Lorenzo pode trazer ondulação alta a toda a costa portuguesa

- publicidade -

O alerta é do site BestWeather, que avisa que «a ondulação (swell) gerada pela passagem do furacão Lorenzo  será extremamente significativa. O Furacão Lorenzo, atualmente com categoria 5, está já a gerar ondulação extremamente violenta, que ser irá propagar até às costas portuguesas.

Os modelos de previsão têm uma resolução muito baixa, pelo que as ondas causadas por este furacão (e outros fenómenos meteorológicos de escala espacial relativamente pequena) deverão estar a ser subestimadas, e teremos de contar com essa subestimação.

Esperamos que a ondulação nos Açores ultrapasse os 18m de altura máxima, dia 2 de Outubro.

No restante território, as ondas poderão chegar aos 5-6m de altura máxima na Madeira e no Continente e o pico de ondulação no continente e Madeira deverá ser sentido dia 3.

Será ondulação de período grande (+ 18s), com grande potencial energético, esta ondulação tem, no entanto, uma característica única, procedente de sudoeste, que rodará para oeste.

Ou seja, esperamos que à chegada das primeiras vagas deste swell, toda a costa seja afectada, incluindo o Algarve e áreas tradicionalmente mais abrigadas voltadas a sul como a costa da linha da Arrábida, Tróia, São torpes e linha de Cascais.

Nestes troços de costa a ondulação poderá rivalizar os grandes swells de inverno, embora ainda haja alguma incerteza.

A ondulação irá chegar entre dia 2 e dia 4, com condições de tempo marcadas pela presença do anticiclone em força sobre o território.

Teremos assim temperaturas muito agradáveis e vento em geral fraco de componente norte.

A ondulação vai chegar mesmo com muita energia, e numa altura em que ainda estaremos sob influencia do ciclo de marés vivas de Lua Nova mais altas do ano.

Nestas condições, o risco de erosão costeira e de galgamentos/inundações da orla costeira, serão maximizados.»

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o Furacão Lorenzo deve atingir “todo o arquipélago” dos Açores na quarta-feira e encontrava-se esta manhã a 2.200 quilómetros (km) a sudoeste dos Açores.

Mantendo-se as previsões da trajetória, o centro do furacão deverá passar muito próximo do grupo Ocidental [ilhas das Flores e Corvo], afetando assim todo o arquipélago na próxima quarta-feira”, indicou nota enviada hoje à imprensa pelo IPMA e assinada pela meteorologista Vanda Costa.

- publicidade -

Para o grupo Ocidental, é esperado “vento sueste rodando para noroeste com rajadas na ordem dos 180 km/h (com uma probabilidade de 20% de a rajada máxima ser superior a 200 km/h), chuva forte e ondas de sudoeste com altura significativa entre 10 a 12 metros”.

Já para o grupo Central dos Açores, formado pelas ilhas do Faial, Pico, São Jorge, Terceira e Graciosa, preveem-se “rajadas até 180 km/h (com uma probabilidade de 20% de a rajada máxima ser superior a 200 km/h, especialmente nas ilhas Faial, Pico e Graciosa), chuva forte e ondas de sudoeste com altura significativa entre 10 a 14 metros, com altura máxima de onda superior a 20 metros”.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo