FNAM acusa Governo de não querer resolver situação no Garcia de Orta

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) acusou, esta quarta-feira, o Governo de falta de vontade em resolver a situação do Hospital Garcia de Orta

0
66
Tempo de Leitura: < 1 minuto

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) acusou, esta quarta-feira, o Governo de falta de vontade em resolver a situação do Hospital Garcia de Orta, que necessita de mais 15 médicos para fazer medicina geral na pediatria.

O vice-presidente da FNAM João Proença foi hoje ouvido na Assembleia da República numa audição requerida pelo PCP sobre o encerramento das urgências pediátricas no período noturno do Hospital Garcia de Orta, em Almada.

João Proença explicou que o problema é de “gestão de recursos humanos”, lembrando que os médicos mais novos têm tendência a sair por causa da situação contratual, que não os favorece.

“Para contratar pessoas tem de se cativar com boa liderança, com bons contratos”, salientou, acrescentado que “o hospital precisa de ter pelo menos mais 15 pessoas para fazer medicina geral a jovens e não duas”.

Desde novembro que a urgência pediátrica deste hospital do distrito de Setúbal tem encerrado diariamente no período noturno, entre as 20h00 e as 8h00, devido à falta de especialistas para assegurar a escala.

Em janeiro, o Ministério da Saúde anunciou que vai avançar com a contratação direta de cinco pediatras para o Garcia de Orta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome