Quantcast Choice. Consent Manager Tag v2.0 (for TCF 2.0)
Cultura

Filme “Elo” de Alexandra Ramires vence Prémio Nacional do cinema de animação 2020

- publicidade -

O filme “Elo”, de Alexandra Ramires, foi distinguido com o Prémio Nacional da Animação (PNA) 2020, na categoria de filmes profissionais, na qual foi atribuída uma Menção Honrosa a “Purpleboy”, de Alexandre Siqueira, anunciou hoje a organização.

O palmarés do PNA 2020 foi hoje anunciado na 19.ª Festa Mundial da Animação, promovida pela Casa da Animação, que decorre até domingo na Casa das Artes, no Porto.

“Elo” é uma animação a grafite em papel e sem diálogos, com argumento de Alexandra Ramires e da escritora Regina Guimarães. Este é o primeiro filme da realizadora em nome próprio, depois de ter coassinado “Água mole”, com Laura Gonçalves, que soma 19 distinções internacionais.

Em setembro, “Elo” fez parte do programa de curtas-metragens do Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF).

Já “Purpleboy”, de Alexandre Siqueira, aborda a questão da identidade de género e gira em torno de uma criança que cresce no jardim dos pais, com o corpo a desenvolver-se no subsolo, sem que ninguém conheça o seu sexo biológico, nem o próprio, apesar de ele saber perfeitamente aquilo que quer ser.

O filme, que esteve nomeado aos prémios Annie, considerados os ‘Óscares da Animação’, foi premiado em vários festivais, tanto nacionais como internacionais.

Na categoria de filmes profissionais, além de “Elo” e de “Purpleboy”, ambos com produção da Bando À Parte, estavam também nomeados “Mesa”, do ilustrador João Fazenda, produzido pela Animanostra, “O peculiar crime do estranho senhor Jacinto”, de Bruno Caetano, do coletivo COLA, e “Já tens idade para te preocupares com o cancro?”, de Raquel Felgueiras, produzido pelo Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto.

Este ano, para o PNA foram escolhidas duas dezenas de produções de cinema de animação, em curta-metragem, repartidas pelas categorias Filmes de profissionais, Filmes de escola e Filmes de oficina.

“Nestor”, de João Gonzalez, com produção da Royal College of Art, venceu a categoria de Melhor Filme de escola, na qual foi atribuída uma Menção Honrosa a “(In)dividual”, de Beatriz Bagulho, produzido pela University of the West of England.

Nesta categoria competiram ainda mais sete filmes: “Sundown”, de Ana Moniz, Camille Letouze, Juliette Brocal, She Ruitao e Zou Shanshan, produzido em França, “Dente d’Leão”, de Catarina Abrantes, Mariya Toma e Miguel Henriques, “Rachado”, de Ana Rodrigues, António Lucas, João Monteiro e Rita Branco, ambos da Universidade Lusófona, “Mother Trude”, de Tiago Miguel (Instituto Politécnico do Cávado e do Ave), “Being Uncanny”, de Filipa Alves e Maria Barbosa (Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa), “As aventuras do gajo no espaço”, de Afonso Pelayo, e “Creature of habit”, de Beatriz Nunes Silva, ambos da Escola Artística de Soares dos Reis.

Na categoria Filmes de oficina do PNA 2020, foram distinguidos “O tempo escondido no corpo de uma escola”, realizado pelas crianças das oficinas da ANILUPA da Associação de Ludotecas do Porto, orientadas por Fernando Saraiva (prémio de Melhor Filme), e “Um dia muito agitado”, realizado por alunos do Externato Senhora do Carmo, em Lousada, com orientação de Abi Feijó.

Nesta categoria estavam ainda nomeados “Realidades”, “O guardião do papel”, “100 palavras”, e “Cerco-me de histórias”.

O Prémio Nacional da Animação é uma iniciativa da Casa da Animação, um projeto cultural nascido em 2001 no contexto de Capital Europeia da Cultura – Porto para promover e divulgar a produção portuguesa de cinema de animação.

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui