Alcácer do SalAtualidadeDestaqueDistritoDistrito Setúbal

Fila de 20 quilómetros para a Comporta entope EN253

- publicidade -

Fila de mais de 20 quilómetros enchia ao início da tarde de hoje a Estrada Nacional 253, via que liga Alcácer do Sal à localidade da Comporta, no concelho de Grândola.

Segundo relatos de alguns automobilistas, a fila começou por volta das 14h15 em direção Alcácer do Sal/Comporta, isto por causa do bom tempo e que puxa os banhistas para as praias do Litoral Alentejano.

Segundo fonte do Destacamento de Trânsito da Guarda Nacional Republicana, aquela é uma das vias que nos últimos dias tem sido frequentada por utilizadores das praias da Troia e Comporta, fazendo longas filas de trânsito, e hoje não se ficou atrás. A mesma fonte referiu que ao início da tarde deste domingo a fila batia no acesso do IC1 àquela nacional.

De acordo com relatos de moradores da pequena localidade da Comporta, são muitos os espanhóis que aproveitam os dias para passear as praias e também degustar alguns pratos típicos alentejanos, só lamentam que haja turistas que não cumpram as regras impostas pelas autoridades de saúde portuguesas. Mariana Rita é uma das moradoras da Comporta que adiantou ao nosso jornal que “é bom termos turismo novamente, mas com alguma contenção, ainda a semana passada disse a um senhor para colocar a máscara, e foi prontamente ofendida”, lamenta “não se pode dizer nada, temos a nossa saúde colocada em causa e ainda somos mal tratados”, para esta moradora existe falta de fiscalização por parte das autoridades policiais, mas também aponta o dedo ao Poder Central: “eles (militares da GNR) são poucos, nada mais conseguem fazer, a culpa é de quem está em Lisboa a mandar”.

As praias do Litoral Alentejano estão todas com vermelho e o trânsito é intenso na EN253, IC1 e A2.

[themoneytizer id=”61056-1″]

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui