Parceiros
AgendaAlmada

Festa da ‘Maia’ regressa à Cova da Piedade

- publicidade -

A União das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas vai realizar mais uma tradicional Festa da Maia, que se realiza todos os anos a dia 1 de Maio, no Jardim da Cova da Piedade – Largo 5 de Outubro.

A Festa começa pelas 09h30 com uma saudação da Banda da SFUAP à população, junto das suas instalações, seguindo-se a concentração no Largo da Romeira.

Às 09h45 tem lugar a recepção aos participantes, e pelas 10h15 começa o desfile da ‘Maia’ até ao Largo 5 de Outubro.

Ali vão ter lugar as saudações das entidades e depois decorre até às 12h00 a animação para todos, com pinturas faciais, actuação do Duo Euclides Dourado, e Hora do Conto com o Projecto Brandlivros.

Pelas 12h00, acontece o regresso da ‘Maia’ à Romeira.

Esta Festa é organizada pela União das Freguesias em parceria com a Câmara Municipal de Almada, o Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro, SFUAP – Sociedade Filarmónica União Artística Piedense, Clube Recreativo Piedense, as Cantadeiras de Essência Alentejana e o Centro de Arqueologia de Almada.

«O motivo da Festa é a ‘Maia’, uma boneca de panos cosidos por senhoras da Romeira, enchida com palha e o chapéu, também de palha, é enfeitado com flores.

Ao peito traz um grosso cordão de ouro, com medalhão pendurado; na mão direita tem três figos secos, que simbolizam a virgindade e na mão esquerda um cesto com flores.

A ‘Maia’ da Cova da Piedade é uma camponesa que personifica o despertar da fecundidade e festeja a chegada da Primavera» explica a Junta.

«Na origem mais longínqua da Festa da Maia poderá estar o culto à deusa Maia Maiestas, que na mitologia romana representava a fecundidade e a primavera.

A designação do mês “maio” deriva do nome daquela deusa. A tradição de assinalar festivamente o primeiro dia de maio está espalhada por várias zonas do país. Apresenta características diferentes de região para região, mas tem aspetos comuns, como sejam a decoração com flores e espigas próprias da renovação da natureza que surge quando acaba o inverno.

A Festa da Maia que se realiza na Cova da Piedade tem origem numa tradição regional do Algarve. Foi trazida por mulheres algarvias que vieram viver perto das fábricas onde os seus pais, maridos, ou elas próprias, trabalharam.

Trata-se de uma tradição relacionada com a História Local do concelho de Almada, na medida em que ilustra as migrações que acompanharam a industrialização que marcou profundamente este território desde meados do século XIX a meados do século XX. O sítio onde se realiza esta festa, a Romeira, é um dos mais característicos dessa realidade social.

- publicidade -

Aí se instalaram duas das maiores unidades industriais corticeiras do concelho de Almada, que atraíram muita população do Sul do país. Junto a essas fábricas surgiram novas zonas habitacionais, nomeadamente “Vilas” operárias, entre as quais a Vila Maria da Conceição, onde moravam as mulheres algarvias que aqui começaram a celebrar a Maia.

Nesse sentido faziam uma boneca de palha, vestida de branco e enfeitada com flores, que era colocada à entrada da Vila no dia 1 de maio, para receber o verão e afastar o inverno.

Em 1992 o Jardim Infantil da Romeira iniciou o projeto que se realiza anualmente com as características acima descritas. A primeira Maia utilizada nesta festa foi criada por Amélia Albuquerque, conhecida como a “mãe da Maia”. Acrescentou à tradição os fios de ouro, com o propósito tornar a Maia rica, como se a tradição camponesa que lhe deu origem no Algarve cumprisse aqui na Romeira o sonho de enriquecer que a trouxe até cá.» Fonte: Centro de Arqueologia de Almada.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário