Fernando Medina alerta que quebra do tráfego aéreo “é temporário”

Fernando Medina apela ao avanço na decisão sobre o novo aeroporto do Montijo. O apelo foi feito no parlamento.

publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Foi na audição sobre a Avaliação de Impacto Ambiental do Aeroporto do Montijo que o autarca de Lisboa apelou ao “avanço” da decisão sobre o novo aeroporto.

Fernando Medina adiantou que a Câmara de Lisboa não formalizou nenhuma posição sobre a construção do novo aeroporto na BA6, no Montijo, devido a “opiniões diferentes dos vários grupos políticos”.

Mas o autarca afirmou que há “uma posição clara sobre a urgência de um avanço” na construção da Portela mais um.

O presidente dos lisboetas é claro na sua posição, Montijo ou Alcochete terão que ser decididos uma vez que a manutenção do Aeroporto Humberto Delgado tem que ser resolvida.

Pediu mais estratégia em tempos de pandemia e redução de número de passageiros no Aeroporto de Lisboa para que o Governo possa tomar as decisões estratégicas para o futuro.

Na audição, o autarca pediu “apoio do parlamento” para que a decisão possa sair e aliviar a pressão que existe em tempos normais naquela plataforma aeroportuária.

Segundo a Declaração de Impacto Ambiental do aeroporto do Montijo, cinco municípios comunistas do distrito de Setúbal tomaram uma posição, toda ela conjunta, e deram parecer negativo à construção do aeroporto no Montijo (Moita, Seixal, Sesimbra, Setúbal e Palmela) e quatro autarquias de gestão socialistas deram parecer positivo (Montijo, Alcochete, Barreiro e Almada).

Foi em janeiro de 2019, que a ANA Aeroporto e o Estado se sentavam à mesma mesa para assinar o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028.

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome