Atualidade

FENPROF sem respostas e ameaça com greve

Sem resposta da tutela, vão começar a ser discutidas novas formas de luta, incluindo a greve.

publicidade

A Federação Nacional dos Professores (FENPROF) deslocou-se hoje ao Ministério da Educação para exigir uma reunião negocial. Sem resposta da tutela, vão começar a ser discutidas novas formas de luta, incluindo a greve.

O secretário-geral da Fenprof deu até ao dia de hoje para a tutela agendar uma primeira reunião com a estrutura sindical, assegurando que se isso não acontecesse estaria em frente ao edifício do ministério para dar uma última oportunidade.

Mário Nogueira foi acompanhado por dezenas de delegados e dirigentes sindicais para voltar a pedir que, no mínimo, fosse marcada a tal reunião, ainda para o mês de novembro, mas saiu de agenda em branco.

Fomos informados que não há nenhuma data marcada para reunir e, portanto, achamos que já começa a não valer muito a pena dar confiança a um ministro destes que não respeita ninguém“, disse à saída do Ministério da Educação.

“Nós tivemos uma reunião há 10 meses com o Ministério da Educação e daí para cá passaram-se muitas coisas. Entre outras, estamos a discutir na Assembleia da República o Orçamento do Estado [para 2021]” explicou.

A FENPROF vai agora dirigir-se ao primeiro-ministro António Costa, naquilo que explica ser um último esforço para desbloquear o processo negocial. Entretanto, vai lançar hoje um inquérito para auscultar os professores sobre outras formas de luta.

Vão reunir opinião dos docentes sobre outros aspetos de natureza pedagógica, socioprofissional e relacionados com a segurança sanitária nas escolas, estão colocadas três opções de protesto: petições, greve e uma grande manifestação nacional, sendo esta última a menos provável.

“Sabendo nós que as grandes manifestações hoje são mais difíceis, se calhar começa a ganhar figura a necessidade de os professores dizerem da sua insatisfação e da sua indignação com o que se passa recorrendo à greve“, afirmou Mário Nogueira.

A avançar, a greve vai acontecer já em dezembro.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui