Famosos

Fátima Lopes “estava infeliz na TVI” e atitude de Goucha deserta fãs para mau estar na TVI

- publicidade -

Fátima Lopes regressou ontem à SIC, 11 anos depois, para participar no programa da tarde com Júlia Pinheiro, onde admitiu que não “estava infeliz” na TVI e por isso foi “à procura do seu caminho”.

A apresentadora comentou que a saída de Fátima Lopes da TVI foi muito corajosas” e continuou: “Como é óbvio, não te vou perguntar as razões porque recentemente deixaste os ecrãs – porque isso tem a ver com envolvimento com outras entidades na nossa área profissional que não a nossa -, mas posso te perguntar se esta liberdade de não ter um compromisso diário, de não estares na televisão todos os dias te fazia falta”.

Fátima Lopes confirmou e disse: “Está-me a fazer bem. Quando me propuseram deixar um programa diário, eu concordei. Nós temos que ter consciência quando chega o momento em que precisamos de parar. […] [Estar sempre no ecrã] isso exige muito de nós, muita disponibilidade, até emocional. E chega a uma altura em que as histórias duríssimas, dia após dia, vem buscar muito cá dentro. Chega a uma altura em que tens que voltar a encher baterias para depois teres mais para dar”.

Admitindo que “precisava deste sentimento de liberdade. Sentia que não tinha esta liberdade, que não conseguia concretizar alguns dos meus sonhos, estava sempre muito presa aos meus horários. E depois, por circunstâncias em que as coisas não correram bem, obviamente que fui precipitada a tomar esta decisão”.

Mas confirma que não foi uma decisão fácil e que “teve de ponderar muito” e afilha ajudou a tomar a decisão: “Ela disse-me: ‘Mãe, aqui tens de fazer uma pergunta, se tu estás feliz. Se tu não estiveres feliz, então está na altura de mudar porque termos uma vida muito boa à custa da infelicidade da nossa mãe não vale’”.

Depois de decidir sair da TVI foi para junto dos pais: “E quando visitei os meus pais depois de sair (foi o primeiro sítio onde fui), o meu pai abriu os braços para me abraçar, e aquele abraço valeu aquilo que eu não conseguirei traduzir em palavras e olhou para mim e disse-me: ‘Tu és muito corajosa e por isso vai-te correr bem’. Não preciso de mais nada, agora o resto eu faço. E quando digo eu faço, é que tenho a força anímica para ir atrás. Sou muito trabalhadora e não tenho medo de começar e de recomeçar”.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui