Internacional

Escalada de violência em Moçambique com decapitação de mais de 50 pessoas

publicidade

A notícia foi avançada pela BBC, que adianta terem sido decapitadas mais de cinquenta pessoas no norte de Moçambique, por militantes islâmicos.

Agora foi conhecido um massacre em Cabo Delgado, o mais sangrento de que há registo, por parte de militantes islâmicos, que decapitaram e desmembraram mais de cinquenta pessoas transformando um campo de futebol de uma vila, num campo de execução em massa, e outras pessoas foram também assassinadas numa vila vizinha.

Testemunhas declararam que os atacantes entoam o «Allahu Akbar» (Alá é Grande), enquanto disparam e incendiam casas, como aconteceu na noite da passada sexta-feira, na cidade de Nanjaba, onde duas pessoas foram decapitadas e várias mulheres raptadas.

O grupo é conhecido por explorar a pobreza e desemprego vivido na região, para recrutar jovens para as hostes que pretendem estabelecer a lei islâmica na área, rica na exploração de gás.

Mais de 2.000 pessoas já foram assassinadas e mais de 430 mil tiveram de fugir das suas habitações, nestes três anos de guerrilha naquele país, causada por militantes do Estado Islâmico, que procuram controlar aquela zona de África.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui