Atualidade

Ema Paulino é a primeira mulher eleita Presidente da Associação Nacional de Farmácias

- publicidade -

Ema Paulino foi eleita Presidente da Direção da Associação Nacional das Farmácias (ANF) para o triénio 2021-2023, com 58% dos votos, contra 36% da lista adversária.

É a primeira vez que uma mulher é eleita para dirigir a ANF.

A lista A, liderada por Ema Paulino, conquistou 1340 votos, contra 825 da lista F, num total de 2165 farmácias apuradas. Foram ainda contabilizados 147 votos nulos ou em branco.  Ficam por apurar os votos de 199 farmácias, processo que estará concluído na próxima sexta-feira, dia 4 de junho de 2021.

Ema Paulino foi membro da Direção Nacional da Ordem dos Farmacêuticos (OF) e representou esta organização no Grupo Farmacêutico da União Europeia (PGEU) e na Federação Internacional Farmacêutica (FIP), da qual foi CEO interina.

Pertenceu à Direção da ANF durante 9 anos, de 2003 a 2012, e foi, entre 2012 e 2019, Presidente da Secção Regional do Sul e Regiões Autónomas da Ordem dos Farmacêuticos. Foi, até à eleição para a ANF, membro da Comissão Técnica de Vacinação da Direção-Geral da Saúde, desde 2018, e, desde 2020, da Comissão Técnica de Vacinação Contra a COVID-19. Integra a delegação da FIP à Assembleia Mundial da Saúde, da Organização Mundial da Saúde.

Recebeu o galardão FIP Fellow em 2012. Em 2014, foi distinguida com o prémio Almofariz para Figura do Ano e, em 2017, foi selecionada como uma das 100 gestoras da nova geração a nível nacional para o Círculo da Inovação, projeto do Expresso, SIC Notícias e NOS. Em 2020, foi eleita membro correspondente da Academia Nacional de Farmácia Francesa.

A nova equipa vai contar com os vice-presidentes Diogo Gouveia, Paula Dinis e Paulo Fernandes. João Cordeiro preside à Mesa da Assembleia Geral, Paulo Barradas é Presidente do Conselho Fiscal e Helena Amado é Presidente do Conselho Disciplinar.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui