DestaqueSeixal

«É preciso trazer o Hospital à comunidade»

- publicidade -

O Hospital Garcia de Orta iniciou esta quarta-feira a acção «O Hospital está no Bairro», no concelho do Seixal, escolhendo para esta primeira abordagem o Bairro de Vale de Chícharos, conhecido como Bairro da Jamaica.

Esta é a primeira iniciativa em que o HGO se envolve com a comunidade e contou com a presença da ministra da Saúde, Marta Temido, que visitou os vários espaços, acompanhada de elementos da Direcção do Hospital, do Aces Almada-Seixal e do executivo camarário do Seixal.

Ao Diário do Distrito, o presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, Luís Amaro, congratulou-se pela “forma muito positiva como está a decorrer, embora ainda estejamos no período da manhã”.

Em relação à iniciativa, “esta tem um pouco a ver com o histórico no passado, enquanto director executivo do ACES. Cheguei depois ao HGO e achei que este estava muito fechado dentro dos seus muros, é preciso trazer o Hospital à comunidade.

Pelo facto de conhecer todas as entidades que agora são nossas parceiras, achei por bem chamar todos e vir a este bairro fazer dois dias de rastreios.

Cada vez mais o Hospital deve descentrar-se da perspectiva curativa e enveredar mais pela promoção da saúde e prevenção da doença. Conjugando todos neste esforço torna-se mais fácil envolver também a população.”

A escolha do Bairro de Vale de Chícharos ocorreu “porque se trata de um bairro com grandes carências, apesar de ao nível dos cuidados de saúde primários deslocarem-se cá com frequência várias equipas. Mas a ideia é dar continuidade a acções desta natureza, e a próxima irá ter lugar no concelho de Almada”.

O presidente da Associação de Desenvolvimento Social de Vale de Chícharos considerou que “esta iniciativa é muito importante e benéfica para o bairro e para o concelho e seria bom que outros hospitais seguissem o exemplo, porque muitos dos moradores do bairro não têm documentos nem estão legalizados em Portugal e não têm como ter acesso ao apoio à saúde”.

A mesma opinião foi manifestada pelo presidente da Junta de Freguesia de Amora, Manuel Araújo, que destacou “a importância da aproximação do HGO ao bairro, porque embora os moradores tenham acesso aos serviços de saúde, por vezes têm alguma dificuldade em deslocarem-se ou desconhecem até os seus direitos. Estamos num bairro com uma maioria de pessoas oriundas de São Tomé e muitas vieram ao abrigo de protocolos de saúde e acabaram por ficar em Portugal por conta própria e sem qualquer apoio, e estas iniciativas ajudam-nas a continuar a fazer a vigilância sobre o seu estado de saúde.”

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo