Opinião

Duplicação da TGR e aumento da água já em 2021 e, Alcochete, Alcochete… eleições à vista

- publicidade -

Imagine-se! Em tempos de pandemia e de grave crise económica e social, o governo de António Costa aprovou um diploma legal que visa permitir a duplicação da “TGR – Taxa de Gestão dos Resíduos” a partir de Janeiro de 2021.

Na última reunião da Câmara Municipal de Alcochete, o vereador do PSD, Pedro Louro, avançou com uma moção contra essa despropositada intenção, que mereceu o apoio inequívoco dos vereadores Jorge Giro e Estêvão Boieiro da CDU, força política que sempre se bateu contra este imposto encapotado que onera sobremaneira a factura da água paga pelos munícipes.

Esta posição foi ainda acompanhada pelo Vereador Vasco Pinto do CDS.

A discussão e votação desta moção foi muito curiosa, porquanto isolou e derrotou a posição do Presidente da Câmara e dos outros dois eleitos do PS, que tentaram impedir e adiar a votação e que optaram pela abstenção, não obstante se dizerem também contra o aumento estrondoso dessa taxa.

Ou seja, tal como persistem com os impostos municipais mais altos da região, dizem-se a favor no essencial, mas não conseguem assumir uma posição favorável à população contra o governo do PS…

Esta a postura habitual, partidariamente subserviente e lamentável, dos eleitos locais do PS.

Tendo, neste contexto, sido caso virgem, após 3 anos de mandato, ver o vereador Vasco Pinto a votar favoravelmente uma moção do PSD, seu ex-aliado na coligação eleitoral de 2017, e contra a posição dos seus agora amigos minoritários do PS que lhe deram pelouros e um tempo inteiro na maioria compósita que vem desgovernando o Município de Alcochete.

Será já o efeito da transmissão em direto da reunião de Câmara nas redes sociais e plataformas digitais, de que tanto fugiam? Ou é já caso para dizer: “Alcochete, Alcochete, eleições à vista…”

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui