Famosos

Dolores arrasada por dizer que: “Sem o futebol, Ronaldo não era ninguém, era um pedreiro”

- publicidade -

Dolores Aveiro, mãe de Cristiano Ronaldo, deu uma entrevista ao programa “ADN de Leão”, do Sporting Clube de Portugal,  onde relembrou o percurso do atleta na Academia do Sporting que nem sempre foi fácil: “fez alguma asneira”, por isso não foi a casa, na Madeira, como castigo: “Chorou e disse que queria abandonar o futebol. Disse-lhe que eles fizeram bem e ele compreendeu. Acho que tinha roubado um iogurte a um colega. Foi castigado a despejar os contentores do lixo“.

Cristiano sempre quis garantir que a mãe um dia teria uma vida melhor: “É engraçado. Quando começou a jogar, eu chorava muito, na minha vida. E ele dizia-me: ‘Mãe, não se preocupe, vou jogar futebol e vou-lhe comprar uma casa e um carro.’ E foi isso que fez. Queria dar-lhe coisas, mas não podia. Queria calças de marca e eu não podia dar. Dava-me mágoa. Mas desde que não faltasse a comidinha na mesa, isso é que interessa“.

Mas, Dolores foi sempre o suporte do filho: “Penso que fui um grande pilar na vida do Ronaldo, se não fosse eu ele não chegava onde chegou“, acrescentou.

No percurso chegou a sofrer de bullying: “Quando ele veio para o Sporting e foi para a escola a professora gozava com a forma como ele falava. O Ronaldo chegou a atirar-lhe uma cadeira. Foi castigado. Dizia que ele tinha a mania, que era bom”, disse. E acrescentou: “Lembro-me no Natal, comprei-lhe uma bola. Deu-lhe tantos pontapés que rasgou-a, rebentou-a. Só depois é que veio para casa“.

Mas, em 2003, tudo mudou: “No final [do jogo com o Manchester United] ele disse-me: ‘O Manchester está interessado em mim’. E eu: ‘Mas vais para lá, tão novinho?’ E ele: ‘Mãe, não me cortes as asas’. E assim foi. Ir para o continente com 11 anos? Custou, mas valeu a pena. Nos primeiros dois anos esteve sozinho mas depois deixei tudo e vim para cá“.

E rematou com uma frase que gerou grande polémica nas Redes Sociais com muitos comentários críticos: “Sem o futebol não era ninguém, era um pedreiro. Se fosse pedreiro nunca era o melhor pedreiro do Mundo. As pessoas não dão valor como dão ao futebol“.

 

Artigos Relacionados

comentário

  1. Óh!! D. Dolores, isso não se diz!! Devia ter dito, que podia ser um assaltante de camião de pneus, ou o que está a dar, ser empreendedor, com o dinheiro dos bancos e não pagar, enfim!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo