AtualidadeSesimbra

Doente com problemas respiratórios agradece a militares da GNR da Quinta do Conde

- publicidade -

A Guarda Nacional Republicana partilhou este sábado mais um agradecimento de uma cidadã, desta feita dirigido aos militares do Posto Territorial da GNR na Quinta do Conde, por um auxílio prestado no dia 13 de Abril.

Mena Correia começa por frisar que «a vida põe-nos perante situações que nos surpreendem de uma forma francamente positiva e que às vezes têm uma componente um pouco caricata. foi o que aconteceu comigo, como passo a descrever.

Sou doente pulmonar em pré-transplante dos dois pulmões, razão pela qual me canso muito quando faço qualquer esforço mesmo que pequeno, e tenho  falta de ar com muita frequência.

Ora, esta noite ao chegar a casa já cansada, e não tendo lugar para estacionar, deixei o carro na rua principal um pouco mal-estacionado, no intuito de ir deixar a casa os sacos que transportava e que para mim tinham algum peso, e voltar para o colocar em local mais adequado.

Só pelo facto de sair do carro e me inclinar entre os bancos da frente e de trás para pegar nos ditos sacos, foi o suficiente para ficar extremamente cansada e com dificuldades respiratórias. Assim, encostei-me ao carro e atirei-os para o chão tentando ganhar fôlego para começar a andar em direcção a casa que ficava a cerca de quarenta metros, e subir os três andares sem elevador.

Nesse momento passaram dois carros da GNR na outra faixa, ou seja, em direcção contrária à qual eu me ia dirigir, com dois guardas em cada um. qual não é o meu espanto quando vejo os ditos carros pararem ao pé de mim depois de se darem ao trabalho de voltar para trás, e os guardas me perguntarem se me estava a sentir mal.

Respondi com dificuldade que estava com muita falta de ar. Ao se aperceberem que tinha os sacos no chão, saíram do carro para me ajudarem, interrompendo a sua patrulha. Perguntaram-me se precisava de assistência médica ao que respondi que não, pois era uma situação normal no meu estado, e pediram à colega para levar o meu carro até ao prédio (o que não foi possível por não haver lugar), mas assegurando-me que não me preocupasse por o meu carro não estar devidamente estacionado.»

Após ser assistida na rua, Mena Correia continua o relato: «pegaram então nos sacos e meteram-me numa das viaturas levando-me a casa evitando eu ter que me deslocar a pé.

Seguidamente um dos guardas subiu ao terceiro andar transportando os sacos, enquanto o outro me acompanhava e ajudava lentamente a subir as escadas para grande espanto da minha vizinha que veio à porta de sua casa pensando que algo de grave se tinha passado.»

Mena Correia frisa que «se temos que apontar o que está errado, mas para sermos justos também temos que mencionar o que está certo, quero aqui deixar o meu grande agradecimento aos quatro guardas pertencentes ao corpo da GNR da Quinta do Conde que se encontravam de serviço esta noite (terça-feira 13 de abril 2020, e dos quais infelizmente não sei os seus nomes), e dar-lhes os meus parabéns pelo excelente serviço que prestaram. grata pela vossa preocupação, carinho, gentileza, disponibilidade e educação. assim houvesse mais como vós. que bom ser surpreendida desta maneira!!! Bem hajam pela vossa ajuda.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui