Doenças e Estigmatização em debate no Hospital de Setúbal

A necessidade de lutar contra o estigma e a marginalização social foram destaques no colóquio.

0
107
FOTO: DI
Tempo de Leitura: < 1 minuto

O debate promovido pela Liga de Amigos do Hospital de São Bernardo – Centro Hospitalar de Setúbal decorreu no dia 29 de outubro, e contou com a presença da presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, e de especialistas na área.

Nos discursos inaugurais a presidente destacou necessidade de combater o preconceito e a marginalização social em relação aos portadores de doenças. Já o presidente da Liga de Amigos do Hospital de São Bernardo, Cândido Teixeira, falou da importância permanente nos cuidados prestados aos doentes pelo corpo de voluntários que conta com 230 elementos.

Igualmente presente na sessão de abertura do debate, o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Setúbal, Manuel Roque, enalteceu o contributo e o apoio prestado diariamente pela Liga de Amigos do Hospital de São Bernardo no apoio direito a doentes e familiares.

Os trabalhos continuaram com a conferência “Contextualização Histórico-Filosófica”, por Adelino Cardoso, da Universidade Nova de Lisboa, moderada pelo bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, e com comentários de Viriato Soromenho Marques, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Seguiu-se o debate “Dois exemplos paradigmáticos de estigmatização”, no qual foram apresentados casos de doença infecciosa e contagiosa pelo infeciologista Germano do Carmo e de doença psiquiátrica pelo médico António Barbosa.

A parte da tarde iniciou com a sessão “Estigmatização em Saúde”, a qual contou com intervenções de Carlos Ferreira, do Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa, que falou de “Perspetiva Sociológica”, e de Silvério Marques, do projeto Ser+, com a alocução “A Visão de um Cidadão”.

“Ética do Relacionamento Humano da Doença”, por Maria do Céu Neves, da Universidade dos Açores, deu tema à última conferência do encontro, com moderação de Amadeu Lacerda, antigo funcionário do Centro Hospitalar de Setúbal, e comentários de Jorge Soares, do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida.

A cerimónia de encerramento teve as intervenções de Nuno Fachada, diretor clínico do Centro Hospitalar de Setúbal, do presidente da Comissão de Ética do Centro Hospitalar de Setúbal, José Vinhas, e do provedor do doente da Liga de Amigos do Hospital de São Bernardo, José Poças.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome