OpiniãoRubrica

Do riso

- publicidade -

Somos demasiado sérios, preocupados e sofremos por antecipação. Corpo e pensamento em tempos diferentes, em constante dissonância, como palco fértil para a ansiedade.

Regras, espartilhos, obrigações, pouco tempo e espaço para ser e para a flexibilidade.  A vida não pode ser demasiado castradora.

Vivemos em passo apressado e pouco nos deleitamos com a magia de um olhar ou de um toque, não saboreamos os pequenos tudo e não nos deslumbramos nem connosco, nem com o Outro.

Em vidas vividas a correr, o sentido de humor é um bem de primeira necessidade. Os meus pacientes sabem bem disso…O riso é um coadjuvante da terapia, a par do sol e do exercício físico.

Ria, ria muito, às gargalhadas, daquelas ruidosas! Se não puder rir, sorria! Exercite os músculos da face, reduza o cortisol e descontraia!

Ria de si mesmo! Experimente! Quer em momentos de maior tensão e agressividade, quer de elevada tristeza e ansiedade, a capacidade de sair de si, distanciar-se e relativizar é preciosa! Quantas relações melhoram quando conseguimos fazer isto: pare, respire, reenquadre…e ria!

Deixe cair o que lhe pesa demasiado e torna o seu dia a dia um colecionar de frustrações e ansiedades. Abrace, sem hesitar, o que o faz feliz e torna os dias leves e apaixonantes.

Vá lá! Já se riu hoje?!


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui