AtualidadeSetúbalSociedadeUncategorized

Dia do IPS: Mais estudantes, mais desafios

- publicidade -

O Instituto Politécnico de Setúbal teve ontem um dia especial: para além do “Dia do IPS” e da celebração dos seus 40 anos de existência, a sessão solene assinalou o arranque de mais um ano académico. No mesmo momento foram agraciados professores e trabalhadores, e entregue o primeiro título Professor Honoris Causa IPS: um reconhecimento oferecido ao treinador setubalense José Mourinho.

A cerimónia contou com vários ilustres convidados, entre autarcas locais, empresas e entidades que ao longo dos tempos têm vindo a ser parceiros do Instituto. António Costa e Silva, presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do Plano de Recuperação e Resiliência foi um dos convidados, e teve a seu cargo a tão consagrada “Oração de Sapiência”.

Uma das entidades que marcou presença de uma forma virtual, através de uma mensagem vídeo, foi o Presidente da República que fez questão de “saudar o IPS, pelos 40 anos, pelos sonhos, pelas oportunidades de significaram para tantos estudantes”. Marcelo Rebelo de Sousa salutou a “colaboração e parceria com tantas instituições e empresas, e sobretudo pelo contributo dado à região, vísivel em múltiplas manifestações, dando um sinal de esperança e de futuro para o território”.

Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou para deixar “uma palavra para o professor Pedro Dominguinhos, que liderou o Instituto ao longo destes 8 anos… 8 anos muitos intensos, muito difíceis, cheios de realizações e entusiasmo, de afirmação do IPS como uma realidade dinâmica, promotora de desenvolvimento económico e sustentado”.

Referindo-se ao ensino politécnico como “um dos pilares mais importantes do Portugal democrático”, o presidente dos portugueses, lembrou que “o ensino politécnico trouxe consigo a ponte entre o ensino superior, as comunidades, os territórios, aquilo que vai pulsando no Portugal, muitas vezes no Portugal profundo”.

Assumindo o compromisso de visitar o Instituto Politécnico de Setúbal quanto possível, o Presidente da República deixou ainda um desafio, numa altura em que o período pós-pandemia começa a ganhar forma. Marcelo Rebelo de Sousa considera que “estamos a entrar num período de mais acelerada recuperação e reconstrução nacional”, e acrescenta que “uma das vias cruciais da nossa reconstrução chama-se qualificação… os nossos recursos humanos são uma pedra toque essencial para o nosso sucesso”. Para este sucesso, o Chefe de Estado não tem dúvidas, e lança o desafio: “convoco-vos, tendo a certeza de que seremos vencedores, e de que os IPS será nas próximas décadas vencedor, como foi nas décadas agora terminadas”.

Como já foi dito a sessão solene teve também como ingrediente o arranque de mais um ano académico. Neste campo, um dos pontos altos foi a tomada de posse da nova Presidente do Conselho Geral, Sandra Martinho.

Directora para a área de Educação e Filantropia na Microsoft Portugal, Sandra Martinho considera que “este é um dia de grande responsabilidade, e ao aceitar este desafio, será mais uma etapa” para marcar a sua vida.

“Trazer para o Politécnico de Setúbal o meu conhecimento e a minha experiência vai ser de facto a minha grande aposta”, afirmou Sandra Martinho, frisando “a oportunidade de poder integrar esta nova era”.

Pres. Conselho Geral, Sandra Martinho / Foto: GI-Com IPS

“É a era do fantástico” considera a recém empossada Presidente do Conselho Geral,  salientando a importância de “poder desenvolver uma série de novas atividades e oportunidades, e abraçá-las com um conhecimento tão grande como hoje”. Sandra Martinho considera que “temos ao nosso alcance e disposição informação como nunca tivemos antes, e conhecimentos que a neurociência nos dá, que quando associados à tecnologia podem fazer desta era, uma era fantástica.”

Apesar destas facilidades, Sandra Martinho lembra que “nesta era cabe-nos a nós definir, cabe aos estudantes, com quem estamos hoje a procurar um futuro, e educar, ensinar, e trazer o conhecimento… mas acima de tudo trazer o ser”.

Assoc. Académica, Bruno Fragueiro / Foto: DD

Também a Associação Académica do IPS é uma das presenças assíduas nas sessões solenes da instituição. Bruno Fragueiro, presidente da Assembleia Geral lembrou o quão diferente foi o último ano letivo, num “ano de desafios, em que o IPS se reinventou”.

Para além do reconhecimento de “mérito ao presidente e professor Pedro Dominguinhos, pelos oito anos de trabalho”, Bruno Fragueiro sublinhou “a criatividade e a dinâmica do IPS nos últimos anos”, traduzindo-se numa “referência para todos”.

- publicidade -

“Que mais podemos fazer?” – Pedro Dominguinhos, Presidente IPS

A celebrar 40 anos de existência, o IPS tem tido nos últimos 8 a presidência a carga do professor Pedro Dominguinhos, que neste arranque de ano académico não pode deixar de sublinhar o “arranque de um ano letivo repleto de esperança, resgatada pela ciência e pelo conhecimento”, depois de um ano transato em que a comunidade IPS, sejam docentes, não docentes ou alunos, “tiveram a capacidade de se adaptar e reinventar, respondendo aos desafios que a pandemia nos colocou”.

O Presidente do IPS partilhou com os presentes a mensagem enviadas aos docentes do Instituto, numa citação do professor Sampaio da Nóvoa, que diz que “na educação não nos interesse o conforto do que já foi feito, mas sim olhar para o que ainda falta fazer, sobretudo para promover a inclusão e a igualdade de oportunidades… é com este propósito, do dever de agir, mas transformador, que comemoramos o dia do IPS”.

Pedro Dominguinhos
Presidente IPS, Pedro Dominguinhos – / Foto: GI Com IPS

Neste dia de celebração Pedro Dominguinhos fez questão de sublinhar o papel do IPS na comunidade local, “assumindo o politécnico como uma universidade cívica”, e deixando no ar a questão: “Que mais podemos fazer?”

O professor presidente aproveitou para dizer que “apesar da pandemia, em 2020, o IPS alcançou o maior número de estudantes aproximando-se aos 8 mil, e no presente ano, os cursos técnicos profissionais vão alcançar o número mais elevado na história do Politécnico de Setúbal”. Ainda no campo dos números e das colocações, Pedro Dominguinhos realça os cursos de mestrado, “onde haverá cerca de 3 mil alunos a concretizarem os seus sonhos e realizar a sua formação superior”.

No seguimento de um balanço positivo, e tendo o futuro no horizonte, o presidente da instituição revelou que “serão aprovadas as linhas orientadoras da criação e estruturação dos cursos do Instituto Politécnico de Setúbal, com seis princípios fundamentais: flexibilidade curricular, desenvolvimento de competências transversais, inovação pedagógica, internacionalização, promoção do trabalho autónomo dos estudantes, e promoção de metodologias de ensino à distância”. Tópicos que no seu todo vão ao encontro da “especificadade dos estudantes do IPS, e que têm em vista a promoção do sucesso académico”, explica Pedro Dominguinhos.

Como já foi escrito no início, um dos convidados foi o professor António Costa e Silva, que falou aos presentes naquela que foi a “Oração de Sapiência” do Dia do IPS 2021.

O presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do PRR enalteceu o IPS, frisando ser uma honra “estar numa das instituições de ensino superior de maior qualidade em Portugal, que revelou uma aposta extraordinária na ligação aos territórios, na transformação da economia portuguesa, e sobretudo na construção de grandes plataformas entre as instituições universitárias, as instituições de ensino e as empresas e as entidades territoriais”.

Pres. Comissão Nacional de Acompanhamento do PRR, António Costa Silva / Foto: DD

António Costa Silva dirigiu-se ao Presidente do IPS, parabenizando-o pelo seu trabalho, apontando que “o caminho do Instituto está claramente traçado”, considerando que “será uma das molas transformadoras não só na região, como também no país”.

Fazendo história, e numa retrospetiva sobre a condição humana e as ciências sociais e humanas, António Costa Silva falou da importância da transformação digital, enaltecendo que depois de várias eras e mudanças na sociedade, eis que “somos chegados ao desenvolvimento digital”. Um caminho que se traduz na transformação e capacitação digital das pessoas, em que é inevitável falar-se de “qualificações e competências”.

Outro dos tópicos apontados como essenciais pelo orador, está relacionado com “o baixo nível de capitalização das nossas empresas”, considerando António Costa Silva que, “sem capital não há desenvolvimento económico”. De acordo com o presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do PRR, o último elemento importante no que concerne à economia, é a gestão: temos muito bons gestores em Portugal, mas a qualidade média da gestão é muito pobre… é por isso que defendi no documento da visão estratégica que todos os projetos e investimentos devem assentar numa espécie de reciclagem de todas as equipas de gestão, com programas das nossas faculdades de economia”.

Para finalizar a Oração de Sapiência, o professor António Costa Silva deixou ainda uma mensagem: “Todos nós temos que nos preocupar com o futuro, é o lugar onde vamos passar o resto das nossas vidas”.

Neste Dia do IPS, apenas acrescentar as homenagens aos trabalhadores docentes e não docentes da instituição, bem como a entrega de prémios do Concurso de Ideias Poliempreende.

Recordar ainda que pela primeira vez foi atribuído o Título Honoris Causa IPS, uma distinção que tem como objetivo homenagear e salutar alguém cujo percurso académico e/ou profissional se enaltece, impactando a sociedade local ou mesmo nacional.

José Mourinho foi o homenageado, e apesar de não estar presente deixou uma mensagem em vídeo: o treinador setubalense enalteceu “o trabalho fantástico na formação dos jovens na cidade e um pouco por toda a região”, e deixou um agradecimento especial ao IPS, salientando a “honra que me deram com esta distinção, que já tinha recebido na minha faculdade mas não na minha cidade”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo