Nacional

DGS garante veracidade do SINAVE mas profissionais nem sempre conseguem acesso

- publicidade -

A Direção Geral de Saúde emitiu uma comunicação na explica que os dados para contabilizar os casos de covid-19 em Portugal através do sistema nacional de vigilância epidemiológica (SINAVE), estão totalmente dependentes da notificação atempada pelos médicos e laboratórios que identificam os casos em todo o território nacional.

No entanto, o Diário do Distrito sabe que o sistema por vezes apresenta-se tão sobrecarregado que os profissionais de saúde não conseguem inserir atempadamente os dados, sendo estes carregados apenas para o dia seguinte.

A nota foi enviada no seguimento de uma notícia avançada pelo jornal Expresso, na qual era denunciado que laboratórios, universidades e médicos não têm registado casos positivos de covid-19, havendo concelhos, como o Porto ou Lousada, há semanas sem novos infetados presentes no boletim epidemiológico da DGS.

Segundo a DGS «as notificações recebidas são analisadas diariamente para garantir a validade dos dados de  modo  a  suportar  as  intervenções  em  Saúde  Pública» e que «todos  os dias existe um processamento  dos  dados  no  sentido  de  agregar  os  dados  clínicos  e  laboratoriais  à mesma  pessoa,  confirmar  o  estado  de doente  COVID-19  e  identificar  duplicados e posteriormente estes dados são ainda sujeitos a um controlo de qualidade antes da publicação do relatório de situação epidemiológica».

A DGS reitera ainda que se «tem pautado por uma relação de rigor e transparência nos relatórios diários, comunicações, conferências e entrevistas» e que «continua  a  apostar  na  inovação  e  sustentabilidade  dos  seus  sistemas  de informação e análise para fazer frente aos desafios das emergências de Saúde Pública».


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui