Descargas na Baía do Seixal indignam moradores

Descargas no rio Judeu preocupam população no concelho do Seixal

publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

O mau cheiro intenso e uma cor esbranquiçada na Baía do Seixal despertaram a atenção de quem caminha na Avenida da República, vulgo marginal, perto da Estação Elevatória do Porto da Raposa.

Os cheiros são mais fortes quando a maré está vazia, altura também em que se notam as substâncias brancas que são lançadas por um canal de esgoto no leito do Rio Judeu, e cujas imagens foram partilhadas nas redes sociais, denunciando a situação.

Em Novembro de 2019 foram denunciadas descargas poluentes no mesmo local, e na altura a Simarsul explicou ao Diário do Distrito que estas tinha sido provocadas por uma avaria na estação elavatória do Porto da Raposa, situação que levou a Câmara Municipal do Seixal a anunciar que iria apresentar queixa devido às descargas poluentes.

A Simarsul, responsável da estação elevatória, foi contactada pelo Diário do Distrito no dia 27 de Junho, altura em que estivemos no local a verificar a situação.

A empresa explica que «no presente trimestre registou-se apenas uma intervenção de limpeza na Estação Elevatória Porto Raposa, que ocorreu na madrugada do dia 29 para o dia 30/05, e que originou a interrupção pontual de serviço durante algumas horas».

Apesar disso, acrescenta que «a SIMARSUL efetua limpezas regulares, de caracter preventivo, dos poços de bombagem das Estações Elevatórias. As limpezas realizadas, apesar dos impactes ambientais indesejáveis, constituem operações absolutamente necessárias em sistemas de saneamento, onde a SIMARSUL aciona todos os meios, para de forma rápida, limpar as Estações Elevatórias e repor o seu normal funcionamento.

Todas as intervenções de limpeza, ou outras intervenções de caracter preventivo ou corretivo, são comunicadas à entidade competente dentro dos prazos legalmente previstos – APA – ARH Tejo e Oeste.»

No passado dia 18 de Junho, quando surgiram as primeiras denúncias, o Diário do Distrito contactou a Câmara Municipal do Seixal, no sentido de saber se os serviços tinham conhecimento desta situação, que já se verificou no passado, mas até ao momento não obtivemos resposta.

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome