Deputados instam Governo para intervir com ‘urgência’ na Transtejo e na Soflusa

Foram ontem discutidos no Parlamento os projetos de resolução de vários partidos para a melhoria da oferta na Transtejo e Soflusa, que vão ser votadas na sexta-feira, em sessão plenária.

0
206
DIÁRIO IMAGEM
Tempo de Leitura: 2 minutos

Os deputados do PSD, PCP, BE e PAN instaram esta quarta-feira, no Parlamento, o Governo a agir com ‘urgência’ na resolução dos problemas que afetam o serviço prestado pela Transtejo e Soflusa, considerando que a aquisição prevista de 10 novos barcos é ‘insuficiente’.

As críticas surgiram durante uma sessão plenária onde se discutiram iniciativas legislativas do PAN, PCP, Verdes e BE, que recomendam ao Governo melhorias nos serviços da Transtejo e da Soflusa, empresas que fazem a ligação fluvial da Margem Sul a Lisboa.

Os projetos de resolução resultam de uma petição lançada pela Comissão de Utentes dos Transportes do Seixal, que reuniu 4.678 assinaturas, e que aponta para problemas como a de supressão constante de carreiras e da redução de horários, e vão ser votadas na sexta-feira, em sessão plenária.

Na petição é exigido ao Governo que leve a cabo «um conjunto de medidas que respondam às necessidades de repor a qualidade do serviço de transporte fluvial, assim como uma política de mobilidade que aposte no transporte regular com horários alargados».

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por fazer a ligação entre o Barreiro e Lisboa.

Em Janeiro deste ano, o Governo anunciou um investimento de 57 milhões de euros para a aquisição dos barcos e mais de cerca de 33 milhões para manutenção, mas os deputados consideram que isso é insuficiente para dar resposta aos utentes.

André Silva, deputado do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), defendeu a necessidade de serem tomadas ‘medidas urgentes’, nomeadamente a assinatura de um novo contrato de serviço público de transporte entre a Transtejo e o Governo.

No mesmo sentido, o deputado do PCP Bruno Dias afirmou que o Governo ‘deve agir de forma concreta, sem mais perdas de tempo, e de forma urgente’ e o deputado do Bloco de Esquerda Heitor de Sousa considerou que ‘a medida é coxa’ e que os 10 novos barcos ‘não irão dar resposta aos problemas que existem’.

Por sua vez, o PSD, por intermédio do deputado Carlos Silva, realçou o facto de em 2018 se terem registado 2.500 queixas contra o serviço prestado pela Soflusa e Transtejo, considerando que esta degradação está a criar ‘um muro intransponível entre as margens norte e sul do Tejo’.

Da parte de ‘Os Verdes’ (PEV) José Luís Ferreira considerou tratar-se de uma empresa ‘estruturante a nível da mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa (AML)’ e o deputado socialista André Pinotes Batista destacou na sua intervenção o investimento já anunciado pelo Governo para reforço da frota e manutenção.

Uma voz discordante levantou-se do CDS-PP, com Hélder Amaral a por em causa a legitimidade de PCP, BE e PEV se queixarem do estado de degradação do serviço prestado pela Transtejo e Soflusa, uma vez que são partidos que suportam o atual Governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome