Parceiros
AtualidadePolítica

Deputado do Chega, que nega racismo em Portugal, diz que não foi eleito vice da AR por “ser negro”

- publicidade -

Gabriel Mithá Ribeiro, deputado do Chega, diz que foi rejeitado para a vice-presidência da Assembleia da República por pertencer a uma minoria racial.


“Fui rejeitado num país que anda há décadas a dizer que combate o racismo. Eu não posso apagar a qualidade de ser negro”, referiu o deputado em declarações à imprensa.


Recorde-se que Gabriel Mithá Ribeiro tem publicações em que defende que não existe racismo no país, posição que também assume publicamente.


José Ferreira, membro eleito pelo partido Chega à União Freguesias de Setúbal, disse no Twitter que o que aconteceu no Parlamento foi uma “vergonha”.


O partido não conseguiu, assim, eleger o seu candidato para uma vice-presidência da Assembleia da República.


Diogo Pacheco de Amorim foi apresentado como o primeiro nome, mas falhou a eleição, com 35 votos a favor, 183 brancos e seis nulos.


Gabriel Mithá Ribeiro obteve 37 votos a favor, 177 brancos e 11 nulos na segunda eleição.


Eram necessários 116 votos a favor necessários para um dos deputados conseguir ser eleito vice-presidente.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário