Famosos

Cristina Ferreira ganhava 8 mil euros por cada programa de 90 minutos, além do salário milionário

- publicidade -

A SIC sustenta a argumentação do pedido de indemnização a Cristina Ferreira de 20 milhões de euros nas cláusulas contratuais da estrela.

A apresentadora na SIC recebia 960 mil euros por ano, um ordenado mensal de 80 mil euros para apresentar ‘O Programa da  Cristina’. A este valor acrescia mais 8 mil euros por cada programa extra de 90 minutos. 

A estrela recebia ainda valores extra “provenientes das campanhas, patrocínios e/ou publicidade que incluíssem a participação, imagem, voz e/ou nome de Cristina Ferreira, referentes ao programa ou quaisquer outros programas de televisão para a SIC ou para o grupo”, diz processo a que a revista ‘TV 7 Dias’ teve acesso.

As contas não ficam por aqui, somava ainda 500 euros pelos microespaços publicitários no programa e caso o programa vencesse as manhãs auferia mais 250 euros, “sempre que o programa da manhã fosse confirmado como líder no seu horário”.

O programa matinal foi sempre líder, com excepção de dois dias em toda a existência do formato televisivo.

O contrato teve uma adenda, através da qual recebi contrapartida pelas chamadas de valor acrescentado dos seus programas. Assim, por cada chamada telefónica para os passatempos Cristina Ferreira tinha uma participação.

Em 18 meses de contrato com a SIC, Cristina Ferreira recebeu 2 milhões e 204 mil euros.

Assim, mensalmente a apresentadora trazia para casa quase 130 mil euros, contas feitas a partir da divisão pelos 18 meses de contrato com a soma do montante auferido pelo cargo de consultora executiva  (7232,14 euros brutos), o valor da isenção de horário (1339,29 euros) e o subsídio de alimentação (6,23 euros por dia), excluindo aqui o o valor que recebeu pelas chamadas de valor acrescentando.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui