Atualidadecoronavírus

Covid19 | Sesimbra, Lisboa e Albufeira em risco ‘muito elevado’

- publicidade -

Entre os 278 concelhos de Portugal Continental, Albufeira, Lisboa e Sesimbra estão no nível de risco muito elevado de incidência de covid-19.

O nível de risco muito elevado de transmissibilidade da covid-19 identifica os concelhos que registem, pela segunda avaliação consecutiva, uma taxa de incidência superior a 240 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 480 se forem concelhos de baixa densidade populacional).

Entre as regras para os concelhos de risco muito elevado estão: teletrabalho obrigatório quando as atividades o permitam; restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar até às 22h30 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados (no interior com o máximo de quatro pessoas por grupo e em esplanadas com o máximo de seis pessoas por grupo); espetáculos culturais até às 22h30; casamentos e batizados com 25% da lotação; comércio a retalho alimentar até às 21h00 durante a semana e até às 19h00 ao fim de semana e feriados e comércio a retalho não alimentar até às 21h00 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados.

Concelhos em risco elevado

Outros 25 concelhos estão no nível de risco elevado: Alcochete, Almada, Amadora, Arruda dos Vinhos, Barreiro, Braga, Cascais, Grândola, Lagos, Loulé, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odemira, Odivelas, Oeiras, Palmela, Sardoal, Seixal, Setúbal, Sines, Sintra, Sobral de Monte Agraço e Vila Franca de Xira.

O nível de risco elevado aplica-se aos concelhos que registem, pela segunda avaliação consecutiva, uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240 se forem concelhos de baixa densidade populacional).

As regras aplicáveis a estes concelhos de risco elevado são o teletrabalho obrigatório quando as atividades o permitam; restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar até às 22h30 (no interior com o máximo de seis pessoas por grupo e em esplanada com 10 pessoas por grupo), espetáculos culturais até às 22h30, casamentos e batizados com 50% da lotação, comércio a retalho alimentar e não alimentar até às 21h00, permissão de prática de todas as modalidades desportivas, sem público, permissão de prática de atividade física ao ar livre e em ginásios, eventos em exterior com diminuição de lotação, a definir pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

Concelhos em alerta

O mapa de risco da covid-19 em Portugal Continental coloca hoje 250 dos 278 concelhos na nova fase do plano de desconfinamento, mas destes há 19 em alerta, disse a ministra de Estado e da Presidência.

Os 19 concelhos em alerta, por registarem pela primeira vez uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240 se forem concelhos de baixa densidade populacional), são Alenquer, Avis, Castelo de Vide, Castro Daire, Chamusca, Constância, Faro, Lagoa, Mira, Olhão, Paredes de Coura, Portimão, Porto, Rio Maior, Santarém, São Brás de Alportel, Silves, Sousel e Torres Vedras.

“Temos muitos concelhos já em situação de alerta, neste momento, cerca de 19, eles estão essencialmente na zona da periferia da área Lisboa e Vale do Tejo, um pouco já na zona Centro e também no Algarve”, declarou Mariana Vieira da Silva, em conferência de imprensa, após a reunião do Conselho de Ministros, em Lisboa.

Neste âmbito, a ministra de Estado e da Presidência alertou hoje que na próxima semana, se a situação epidemiológica se mantiver, “mais 16 concelhos” estarão no nível de risco muito elevado de incidência de covid-19.

Apesar de se encontrarem em alerta, estes municípios permanecem na fase de maior alívio das restrições para controlar a pandemia, que entrou em vigor em 10 de junho e que agora se aplica a um total de 250 concelhos, no âmbito do plano de desconfinamento.

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui