Atualidade

Covid19: Concelhos de Almada e Seixal com mais 87 casos numa semana

Relatório da DGS inclui esta segunda-feira os dados por concelho

publicidade

O novo boletim epidemiológico da Direção Geral de Saúde (DGS) dá conta que nas últimas 24 horas Portugal registou mais 8 óbitos e 623 novos casos.

Há agora um total de 21.544 casos de covid19 activos (+475) e 69.200 casos confirmados (+623) desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas registaram-se mais 8 óbitos, elevando para 1.920 mortes.

Há agora registo de 45.736 pessoas recuperadas (+140) e encontram-se 518 pessoas internadas (+7) e destas 61 (-2) em cuidados intensivos, estando 40.465 (+1.103) contactos em vigilância.

Lisboa e Vale do Tejo soma agora 35.443 casos positivos (+439) e 731 óbitos (+3).

A zona Norte apresenta 24.908 (+113) e 875 óbitos (+4) e o centro do País apresenta-se hoje com 5.651 (+30) infetados e 257 mortes (+1), o Alentejo regista 1.340 casos (+22) e mantém 23 óbitos e o Algarve tem agora 1.401 casos positivos (+9) e mantém 19 óbitos.

As regiões autónomas dos Açores registam 252 casos (+9) e mantém 15 óbitos e a Madeira tem hoje 205 casos positivos (+1), e sem óbitos.

Como é segunda-feira, a DGS divulga hoje os dados por concelho, com o número acumulado da última semana.

No distrito de Setúbal, o número total de casos confirmados por covid-19 situa-se agora nos 4.802, mais 363 casos desde o relatório apresentado na passada segunda-feira.

Almada regista agora 1.153 casos (+87), Seixal regista 1.128 (+87), Barreiro com 585 (+31), Moita 561 (+36), Setúbal 522 (+34), Montijo 244 (+13), Sesimbra 170 (+22), Palmela 130 (+12), e Alcochete 67 (+6).

No Litoral Alentejano, Alcácer do Sal subiu para 50 casos positivos (+2), Grândola para 48 (+7), Santiago do Cacém subiu para 104 (+20) e Sines aumentou para 40 (+6).

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui