Setúbal

Covid-19: Mortos na Península de Setúbal cremados no Ribatejo por falta de espaço

Os corpos das pessoas que morrem na Península de Setúbal estão a ser levados para crematórios no Ribatejo devido à falta de disponibilidade.

- publicidade -

Os corpos das pessoas que morrem na Península de Setúbal estão a ser levados para crematórios no Ribatejo (Santarém, Almeirim e Entroncamento) devido à falta de disponibilidade.

Isto acontece devido ao elevado número de mortos em Portugal nas últimas semanas, revelou Carlos Almeida, presidente da Associação Nacional de Empresas Lutuosas ao Correio da Manhã. “Atualmente já há 8 dias de espera para a cremação e se o número de mortos não achatar nos próximos dias, a demora vai aumentar”.

Em Lisboa, o tempo médio de espera subiu de 72 horas para seis dias. Na Amadora, a prioridade para enterros e cremações são mortos em lares ou em casa, ou seja, quem morre no hospital fica tem de ficar à espera.

“Nem os maiores hospitais têm essa capacidade em câmaras de frio para preservar os cadáveres”, disse o dirigente ao CM.

Reveja o debate com os candidatos à CM Moita

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo