Famosos

Covid-19 atinge os dois pulmões de Ruth Marlene : “Posso ficar com sequelas para sempre”

- publicidade -

Ruth Marlene testou positivo à covid-19 e agora enfrenta as sequelas do vírus, mesmo depois de testar negativo.

A artista teve de ir três vezes ao hospital: “A Covid atingiu os dois pulmões e eu tive pneumonia. Neste momento, estou a curar a pneumonia porque ainda não passou. Estou com mais medicação. Já estou negativa desde o dia 18 e vou ter de ter fisioterapia para superar isto. Mas vai correr tudo bem. Cuidem-se e protejam-se“, continuou.

E pede cautela às pessoas: “Estou a falar desta situação porque as pessoas não têm noção… Há pessoas que não têm noção e acham que isto é uma brincadeira. Não desejo a ninguém aquilo que estou a sentir. Eu posso ficar com sequelas para sempre, eu ou qualquer pessoa que tenha apanhado Covid. Mas eu vou ser forte e vou superar isto“, alertou no Instagram.

A sua filha mais velha, Morgana, de sete anos, foi a primeira a ser infetada: “Foi muito duro! No dia em que apanhei… Não querendo acusar ninguém, acho que veio da Morgana. A verdade é que foi ela a primeira a ter sintomas. Acordou com umas dores horriveis de cabeça. Eu, na realidade, já era para a ter levado ao médico uns dias antes, porque se queixava muito da cabeça. Pensei até que fosse outra coisa”, contou à revista ‘TV Guia’.

“Infelizmente, a minha mãe tem nefralgia e pensei que tivesse saltado a minha geração e tivesse apanhado a Morgana. Ou seja, fomos para o hospital a pensar que era uma coisa e acabou por ser Covid. Foi aí que fiz o teste à Luna, que deu também positivo. Temendo o pior, fui também fazer. E acabei positiva”, continuou.

E deu mais detalhes dobre as hospitalizações: “Fui parar ao hospital três vezes! Já depois dos dez dias habituais, após me darem alta, tive uma recaída, por ter andado a carregar sacos de compras. Supostamente, já estava bem, mas, ao pegar nos sacos, senti-me mal e acabei por ir novamente parar ao hospital”.

“A verdade é que o que sentia era o mesmo que senti durante aqueles 10 dias de inferno da Covid: falta de ar, dor no peito. Tive tudo outra vez. Tanto que, nesse dia, entrei no hospital de ambulância à noite e só saí no dia seguinte, já de tarde. Isto é muito assustador. Sinceramente, não desejo a ninguém o que senti”, reforçou.

Além das filhas que recuperaram bem, Jéssica Portugal também esteve infetada:  “A minha irmã só apanhou Covid porque ficou com as minhas filhas enquanto eu fazia o teste. Peço-lhe desculpa por isso, mas fiquei sete horas isolada e a minha pobre irmã é que pagou. Enfim, mesmo doente ela foi o meu apoio. Durante uma semana, ajudou em tudo, mudou-se para a minha casa, com o meu sobrinho. Tenho uma família especial”.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo