AlmadaDesporto

Cova da Piedade bateu Varzim após regresso do treinador António Pereira

- publicidade -

O Cova da Piedade regressou hoje aos triunfos na II Liga de futebol, ao derrotar o lanterna-vermelha Varzim, por 3-1, numa partida da 11.ª jornada, no Estádio do Varzim SC, na Póvoa de Varzim, e num jogo que marcou o regresso do treinador António Pereira ao ativo, após o seu internamento devido ao covid19.

Na Póvoa de Varzim, os golos de Kiko Zarabi (20 minutos), Miguel Rosa (33) e João Patrão (76) fizeram sorrir o técnico dos almadenses, de 64 anos, recuperado da infeção pelo novo coronavírus, após ter estado internado nos cuidados intensivos hospitalares.

Já o Varzim, que reduziu a desvantagem num penálti de Sodiq Fatai (51 minutos) e atuou mais de meia hora em inferioridade numérica por expulsão de Christian Irobiso, continua sem vencer desde a ronda inaugural e afundado no 18.º e último lugar, com seis pontos.

Após uma entrada vigorosa dos piedenses, manifestada aos quatro minutos, num remate desenquadrado de Arnold, os ‘alvinegros’ responderam em dose dupla aos 18, mas Adriano Facchini negou o disparo de André Vieira e Nego Tembeng cabeceou ao lado.

Apesar de largos períodos de equilíbrio territorial, o Cova da Piedade foi superior nos duelos individuais e na eficácia ofensiva, tendo desbloqueado o marcador na jogada seguinte por Kiko Zarabi, graças ao canto batido por Miguel Rosa e desviado por Arnold.

O Varzim acusou o golpe anímico, teve poucas ideias em posse para desequilibrar a defesa forasteira e voltou a mostrar fragilidades em zonas recuadas aos 33 minutos, quando Arnold fugiu pela direita e cruzou para o cabeceamento letal de Miguel Rosa.

Os anfitriões tentaram reentrar na discussão através do irrequieto Sodiq Fatai, que testou Adriano Facchini (34 minutos) antes do intervalo e impôs-se da marca de penálti no início do reatamento (51 minutos), depois da falta de Zarabi sobre Tembeng na área piedense.

Quatro minutos mais tarde, Christian Irobiso foi expulso por acumulação de amarelos e quebrou a reação anímica do conjunto de Miguel Leal, incapaz de suster a estocada final de João Patrão (76), assistido por Arnold, e de reduzir diferenças por Yusuf Tunc (88).

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui