Opinião

Confinamento e restrições, a Vitória dos Idiotas!

Uma crónica de Bruno Fialho.

- publicidade -

“A definição de insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes”, esta frase que é de um autor desconhecido, mas muitas vezes atribuída de forma errada ao físico Albert Einstein, serve para explicar a obsessão do Governo pelos confinamentos, restrições e pelas regras idiotas que o executivo tem legislado, na maior parte das vezes contra a Constituição da República Portuguesa.

E se você, após mais de uma dúzia de estados de emergência, confinamentos e restrições, ainda não percebeu que a “história” que os epidemiologistas lhe têm contado não “bate a bota com a perdigota”, então já nada há a fazer, porque “pior cego é aquele que não quer ver”.

Em Março de 2020 os “especialistas” garantiam que os Estados de Emergência serviam para nos salvar e que em pouco tempo tudo iria voltar à normalidade, as pessoas tinham de aceitar perder a liberdade porque só assim se ganharia a guerra contra a pandemia.

Uns Estados de Emergência mais tarde, lá vieram os “especialistas” dizer que com a vacina é que era e só assim é que tudo iria voltar ao normal.

Depois do fracasso de juntar Estados de Emergência e confinamentos, os ditos “especialistas” afirmaram que só com a vacina é que íamos lá, por isso, teríamos de continuar com os confinamentos e com mais restrições.

Assim, na opinião dos “especialistas”, que desde o início não acertaram uma na mouche, seria com a vacina, confinamentos e restrições que iriamos arrasar o vírus…

Infelizmente os “especialistas” até hoje, como disse acima, não acertaram uma, nem com vacina, nem com confinamentos, nem restrições de circulação, o vírus da cegueira global remeteu-nos apenas ao colapso da economia, mas este colapso só atinge quem trabalha no privado ou é micro, pequeno ou médio empresário.

Assim, com os amigos do Governo a salvo, ou seja, os deputados, autarcas, boys do aparelho, sociedades de advogados que têm avenças com o Estado, funcionários públicos e os grandes empresários, sendo que todos devem representar 80% da população, António Costa e a “famiglia socialista” pensaram o seguinte: que se lixem as medidas sensatas, objectivas e planeadas com ajuda da ciência, vamos é continuar a pisar os portugueses, fechá-los em jaulas que nem macaquinhos e deixa ver quanto e até quando é que eles aguentam.

E não é que os portugueses aguentam tudo eternamente, mas mesmo tudo sem sequer refilar?

Por isso, pergunto: será que ninguém vê o que se passa no estrangeiro, onde já são poucos os países onde ainda existem restrições e confinamentos?

Será que ninguém teve conhecimento que nos países nórdicos nunca houve restrições, obrigatoriedade de máscaras ou confinamentos e esses países estão todos muito melhores que Portugal?

Será que os portugueses estão assim tão cegos para seguirem as ordens ditatoriais dos socialistas sem nada questionarem?

Pergunto: será que ninguém leu que na semana passada o 4.º país mais rico do mundo, Singapura, já começou a alterar o conceito de pandemia para endemia, passando a Covid-19 a ser encarada como uma nova gripe e, por isso, sem confinamentos, rastreamentos em massa e as contagens diárias dos novos casos.

- publicidade -

António Costa, Marta Saúde e Companhia, admitam que erraram na abordagem no combate à pandemia, pois só assim podemos começar a esclarecer devidamente as pessoas e regressar à normalidade.

Eu já não acredito que os portugueses tenham capacidade para se revoltarem contra este governo em modo de ditadura, porque quem aceita que os nossos combustíveis sejam os mais caros da Europa, quem permite que pedófilos sejam libertados com pena suspensa, quem aceita que o governador do Banco de Portugal ganhe mais de 237 mil euros por ano, enquanto Jerome Powell,  Presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos desde 2018, aufere cerca de 171 mil euros, mas aceita a média dos salários mínimos na Europa seja de 1.007€ e em Portugal é a miséria que temos, então que fique no sofá, porque efectivamente não tem coragem para ajudar a depor ditadores.

Tendo sido o único político que desde o início teve a mesma posição em relação às medidas de combate à pandemia, afirmo que vou continuar a não respeitar os confinamentos e restrições inconstitucionais, porque eu ainda sou do tempo em que os portugueses eram Homens com coragem!

Por isso, dou os meus parabéns a todos os idiotas deste planeta, porque de  confinamento em confinamento e restrições em restrições, a vitória é deles!


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo