GrândolaJustiça

Combina encontro com menor em Grândola e é detido por perseguição e importunação sexual

- publicidade -

Um homem de 26 anos de idade foi detido em Grândola por militares do Posto Territorial de Grândola da GNR, esta quinta-feira, 21 de janeiro, por coação sexual perseguição, importunação sexual, devassa da vida privada e gravações de fotografias ilícitas de menor, na localidade de Grândola.

Na sequência de uma denúncia, os militares da Guarda apuraram que a vítima, uma menor de 16 anos, estava a ser perseguida e coagida sexualmente pelo agressor.

A rápida investigação permitiu deter o suspeito em flagrante, quando este marcou um encontro com a jovem, que foi ameaçada com a divulgação de fotos e vídeos com conteúdo de nudez e cariz sexual nas redes sociais caso se recusasse a encontrar com ele.

No decorrer das diligências policiais foi ainda apreendido o telemóvel do suspeito.

O detido foi constituído arguido e ficou sujeito às medidas de coação de termo de identidade e residência e proibição de contactar com a vítima, por todos meios.

A Guarda Nacional Republicana relembra que ao partilhar imagens ou vídeos íntimos de cariz sexual através das redes sociais ou aplicações, estes podem vir a ser utilizados para extorquir dinheiro em troca da sua não divulgação.

Para evitar este tipo de crime a GNR aconselha a que não tenha material íntimo no seu telemóvel, este conteúdo pode ser acedido por terceiros e facilmente divulgado; não partilhe conteúdos privados, principalmente com estranhos; não publique fotos íntimas nas redes sociais, estas podem vir a ser utilizadas por terceiros.

Se for vítima:

– Não tenha vergonha e reporte o seu caso às autoridades;

– Não pague a quantia exigida;

– Não estabeleça mais contactos com esse “amigo virtual” e bloquei o mesmo das suas redes sociais;

– Não apague as conversas e imagens, pois podem servir de prova para identificar os agressores;

– Alerte o administrador da rede social para o informar que essas imagens ou vídeos foram publicados sem o teu consentimento, para que as mesmas sejam eliminadas.

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui