Parceiros
PolíticaSetúbal

CDU Setúbal considera polémica sobre refugiados como ‘circo mediático’ e de ‘campanha anti-PCP na moda’

- publicidade -

Para a bancada da CDU na Assembleia Municipal de Setúbal, que decorre esta noite, a polémica sobre o acolhimento dos refugiados ucranianos pela Associação Edinstvo “não deixa margem para dúvidas que o que continua a estar em causa são as eleições de Setembro de 2021 e a vitória da CDU em todos os órgãos autárquicos de Setúbal”.

O deputado municipal da CDU João Afonso na sua intervenção frisou que “em vários outros municípios se verificam situações similares, sem terem tido a mesma amplitude mediática, se calhar porque a CDU não os governa; porque as respectivas oposições reagiram responsavelmente, ou se calhar porque a investigação cabe às autoridades competentes e ninguém se apressou a condenar sem provas.”

Na crítica dirigida aos partidos da oposição na declaração apresentada por João Afonso, a CDU considerou que a polémica foi gerada “por a oposição não suportar o reconhecimento do trabalho realizado ao longo de duas décadas, e a ausência de alternativas sérias e credíveis e de protagonistas à altura. Compreendemos a frustração.”

Para o deputado municipal “o que está verdadeiramente em causa, apesar do circo mediático e do empolamento de insinuações, não são as questões relativas ao acolhimento de refugiados em Setúbal, nem a posição do PCP sobre a guerra, posição em que insistem em mentir”, apontando como “disparates como se o PCP apoiasse a guerra ou Putin, ou que a Rússia ainda é comunista”.

Com as ‘baterias apontadas’ para a oposição, considerou que “não acreditamos que a maioria dos seus membros condene sem provas ou defenda a inversão do ónus da prova e o fim da presunção da inocência. Nem que aceitem a descriminação das pessoas com base na sua origem nacional ou convicções políticas e religiosas.

Julgamos que as forças políticas aqui presentes consideram Setúbal como um território de paz e em que todos são bem-vindos.”

Acerca da notícia “de um jornal, a partir de afirmações de uma associação com conhecidas relações com a Embaixada ucraniana, os procedimentos do acolhimento dos refugiados foram colocados em causa.

Estranhamos que sem factos e sem provas, a menos que alguma força aqui representada saiba algo que não sabemos, insinuações tenham bastado para que alguns mais oportunistas se tenham colocado em bicos dos pés para mostrar reações e indignações sobre algo que se desconhece ainda ter acontecido.”

João Afonso considerou mesmo “absurdo” as afirmações feitas por membros da oposição “de que a Câmara Municipal devia saber as orientações políticas e ideológicas dos seus trabalhadores ou interlocutores no movimento associativo”.

Relativamente à Associação Endinstvo, considerou que esta “tem há quinze anos um trabalho reconhecido, quer com emigrantes quer com entidades, como o apoio do Alto Comissariado para as Migrações, seja agora colocado em causa, sem que nenhum dado concreto seja conhecido.”

O deputado comunista afirmou ainda que “sabemos que não é nada disto que está em causa, e que mesmo os que querem surfar a onda mediática e a campanha anti-PCP na moda não acreditam que o município não tenha tomado todas as iniciativas para obter o cabal esclarecimento de toda a situação”.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário