CDS-PP Almada preocupado com aumento passageiros sem respostas estruturais das empresas

António Pedro Maco, alertou a Autoridade Metropolitana para os possíveis problemas decorrentes do aumento considerável de passageiros por via da redução do custo do passe social único.

0
97
DR
Tempo de Leitura: 2 minutos

A concelhia de Almada do CDS-PP emitiu uma nota de imprensa na qual dá conta da intervenção do deputado municipal António Pedro Maco relativa ao aumento de fluxo de passageiros nos transportes público devido à baixa do custo no passe social único.

«António Pedro Maco, alertou a Autoridade Metropolitana para os possíveis problemas decorrentes do aumento considerável de passageiros por via da redução do custo do passe social único.

O Deputado Municipal do CDS-PP, António Pedro Maco, apesar de entender que a medida do Governo do Partido Socialista apoiado pelo Bloco de Esquerda e Partido Comunista é útil e benéfica para os orçamentos familiares ao início do mês, alertou em reunião da 6ª Comissão da Assembleia Municipal de Almada (AMA) com a Autoridade Metropolitana de Lisboa realizada em Fevereiro no presente ano, que se não se salvaguardasse, primeiramente, a melhoria e reestruturação de todas as condições da prestação dos serviços de transportes rodoviários, ferroviários e fluviais, poder-se-iam criar problemas consideráveis e preocupantes devido ao repentino aumento do fluxo de passageiros decorrente de uma elástica procura pela oferta em resultado de uma despesa mais em conta com os passes mensais.

“Qualquer pessoa que perceba o mínimo de gestão, entende que com a baixa significativa do preço do bem/serviço neste caso, passes sociais, tendencialmente, levaria a uma maior procura; essa procura deveria levar, à priori, ao inevitável acompanhamento da melhoria do serviço prestado, nomeadamente no que respeita ao equipamento, frota, tripulação, operadores e mesmo legislação, caso contrário, poderiam dai advir sérios problemas, incluindo de segurança derivado, por exemplo, da lotação excessiva dos vários meios de transporte,” afirma o deputado municipal do CDS-PP.

Nos inúmeros operadores com que o CDS-PP reuniu, quer individualmente quer como parte integrante da Comissão da AMA, o mesmo deixou bem vincadas as enormes preocupações relativamente a uma medida que sendo boa, a muito curto prazo, tem tudo para correr mal pois é completamente precipitada como em tão pouco tempo já se começa a reflectir.

“As pessoas começam aos poucos a tomar consciência que pode haver um preço muito caro a pagar pelo desafogar da carteira devido a não terem sido salvaguardadas todas as condições na prestação do serviço de transportes necessárias para que a redução do custo dos passes se pudesse vir a operar”, esclarece António Pedro Maco.

Acrescenta ainda o deputado do CDS-PP em Almada que “a supressão de carreiras nos barcos, o aumento frenético dos passageiros na Fertagus, os autocarros da TST que esgotam constantemente a sua lotação e, por exemplo, o metropolitano de Lisboa que excede diariamente o seu limite de passageiros, prova bem que esta medida foi precipitada sendo que algo de urgente tem de ser feito, pois há ainda muitos milhares de assinantes do passe social único que aguardam para entrar também no ritmo diário dos transportes públicos da grande área metropolitana de Lisboa onde está inserido o concelho de Almada” conclui António Pedro Maco, alertando ainda que medidas proto-eleitoralistas em cima do joelho, normalmente têm uma dura factura.

Para o CDS-PP, esta matéria e este já identificado problema deve ser objecto de acompanhamento minucioso por parte das entidades responsáveis, Governo autarquias, Autoridade Metropolitana de Lisboa, operadores, comissões de utentes e de trabalhadores entre outros interessados, antes que tome proporções difíceis de controlar.»

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome