AlmadaPolítica

CDS-PP Almada aprova decisão para recorrer ao privado no caso do HGO

publicidade

A presidente da Concelhia de Almada do CDS-PP, Sara Machado Gomes emitiu uma nota de imprensa na qual se posiciona sobre a possibilidade colocada pela ministra da Saúde de recorrer ao sector privado para resolver o problema do encerramento da urgência de Pediatria no Hospital Garcia de Orta em Almada.

«Quando o Estado não consegue dar respostas atempadas tem de protocolar em nome dos doentes e da Saúde. Isto sem esquecer, antes pelo contrário, o investimento no SNS», afirma a Presidente do CDS-PP Almada, local onde está sediado o Hospital Garcia de Orta (HGO).

O Estado tem a obrigação de precaver os melhores cuidados de saúde aos portugueses investindo no Serviço Nacional de Saúde quer nos equipamentos, na contratação médica, enfermeiros e restante pessoal auxiliar, nos hospitais, centros e unidades de saúde e na investigação aproveitando as novas tecnologias que a ciência vai permitindo ao longo dos tempos.

Durante largos meses a urgência de Pediatria do Garcia de Orta viu encerradas as portas da urgência no período nocturno e aos fins de semana.

Certo que colocou uma unidade de saúde em Almada (Rainha Dona Leonor) de reforço tal como a indicação de outros hospitais fora do concelho e do distrito em complemento com o HGO em Almada.

Todavia, um estabelecimento de saúde como o HGO que serve não só Almada, mas mais concelhos do distrito de Setúbal, deve com a máxima urgência, retomar a normalidade, garantir e prestar o melhor serviço de Pediatria aos seus utentes, pois disponibilizar e confiar bons cuidados médicos e de saúde na maternidade é também por si mesmo um verdadeiro incentivo e estimulo ao incremento da natalidade que tanto é preciso em Portugal e no concelho de Almada.

Recorrer ao protocolo com os prestadores privados de saúde não pode nem deve envergonhar o Estado, desde que seja aberto a todos e com celeridade no que diz respeito ao acesso aos cuidados de saúde.

O que envergonha o Estado, é o tímido investimento no SNS, na falta de contratação de mais médicos em concreto nos médicos de família, não dar resposta às longas listas de espera para consultas e cirurgias ou resolver os demais problemas na área da Saúde, muitas das vezes por meros preconceitos ideológicos ou táctica adiando soluções e atrasando todo um processo que tem de ser obrigatoriamente acelerado, pois os pacientes não podem esperar.

O CDS-PP em Almada tem reunido com os vários intervenientes na área da Saúde sendo unânime nas suas conclusões de que há um forte desinvestimento nas áreas da Saúde e que tem de ser revertido rapidamente sob pena do Serviço Nacional de Saúde colapsar com grandes dificuldades para reverter.

Em Almada, o CDS-PP já elegeu a Saúde, nomeadamente, o Serviço Nacional de Saúde e a falta de médicos de família, como uma das grandes prioridades para o concelho.

Para Sara Machado Gomes, Presidente da Concelhia de Almada do CDS-PP, o que é importante de momento, é dar respostas atempadas aos utentes, ainda mais quando estamos a falar de crianças, sendo que estes protocolos devem ter como finalidade ajudar a colmatar as falhas no SNS. Mais acrescenta a líder do CDS-PP Almada que o Estado, entenda-se, os governos, em consideração os Ministérios da Saúde e das Finanças, devem de uma vez por todas, eleger a área da Saúde, onde se incluem os cuidados paliativos e cuidados continuados, como o maior investimento orçamental.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui