AtualidadePolíticaSeixal

Carta aberta da JS Seixal ‘contra a realização da Festa do Avante 2020!’

A Juventude Socialista Seixal enviou às redações esta terça-feira uma ‘carta aberta’ na qual demonstra o seu posicionamento contra a realização da Festa do Avante! 2020.

publicidade

A Juventude Socialista Seixal enviou às redações esta terça-feira uma ‘carta aberta’ na qual demonstra o seu posicionamento contra a realização da Festa do Avante! 2020.

Nesta ‘Carta Aberta’ o Secretariado da Juventude Socialista do Seixal expressa «o seu profundo desagrado para com o Partido Comunista Português, em virtude da insistência irresponsável realização da “Festa do Avante!” que poderá ter consequências graves na saúde dos cidadãos portugueses, com especial incidência no concelho do Seixal».

Referindo a lotação máxima para este ano do evento a JS Seixal «quer deixar destacada a sua preocupação devido ao concelho do Seixal ser o destino de dezenas de milhares de pessoas, de todo o país, numa altura em que o país e o mundo enfrentam a pandemia provocada pela COVID-19, a qual só por si, deveria levar o PCP a ter em consideração a não realização deste tipo de eventos, mas também numa altura em que o número de casos voltou a subir, revelando uma total desconsideração e irresponsabilidade, seja por aqueles que têm idealizado ir ao evento, seja principalmente pelos munícipes do Seixal».

O documento refere ainda que o Seixal «é o segundo concelho do Distrito de Setúbal com mais casos detetados» pelo que questionam se «será do ponto de vista do PCP, o Avante, um evento estritamente necessário, na sua vertente de festival, ao ponto de arriscar a vida dos cidadãos, ou não seria esta uma altura de contenção? É uma questão de bom senso e de saúde publica, numa altura tão complicada para todos os portugueses.»

As críticas ao PCP continuam considerando que «se o PCP tivesse sentido de oportunidade, bom senso e preocupação pela comunidade, nunca teria colocado em questão a realização de algo assim» e referem que «a realização de um evento desta dimensão, com um risco ponderado, mas ainda assim altíssimo, será algo que poderá, e infelizmente deverá afetar, a saúde pública, principalmente no concelho do Seixal.

Serão as medidas impostas pela DGS suficientes e será possível assegurar que as mesmas sejam cumpridas pelo PCP na sua totalidade?» e apontam também o facto de «que os seus congéneres comunistas de Espanha e França tiveram a lucidez necessária e que se impunha, cancelando os respetivos Festivais, apesar da sua vertente recreativa, como também política e em Portugal, o PCP parece não querer recuar, sendo este festival, uma atividade que aglomerará num recinto dezenas de milhares de pessoas, em que naturalmente é real o risco acrescido de contágio, tanto para a população que o frequentará, como para os demais cidadãos envolvidos nas áreas adjacentes à Quinta da Atalaia.»

E as críticas seguem também para a Câmara Municipal do Seixal, com a JPSeixal a lembrar que nas imediações da Quinta da Atalaia está a Escola Secundária da Amora, a parcos dias realizados Exames Nacionais.

«Que medidas serão apresentadas, por parte da Câmara Municipal do Seixal comunista, para salvaguardar a segurança destes jovens? Prevê-se a obstrução nos meios de transporte que os jovens irão utilizar na sua deslocação, bem como também a limitação do estacionamento nas ruas, colocando estes jovens em risco de contágio acrescido de forma desnecessária», uma vez que o regresso às aulas será inferior a 15 dias após a realização da Festa do Avante!.

Por fim a Juventude Socialista do Seixal afirma ter questionado o Partido Comunista Português e o presidente, Joaquim Santos, da Câmara Municipal do Seixal sobre «quais as medidas preparadas para a realização dos exames nacionais na escola Secundária da Amora, nas imediações da Quinta da Atalaia?; Fará sentido o PCP realizar este tipo de eventos nesta altura, tendo em conta que a partir do dia 15 de setembro, vamos entrar em período de contingência?; Qual será o impacto que este evento terá nos jovens, quando tanto se apela ao facto de não existirem ajuntamentos superiores a 10 pessoas por grupo? Quais serão as repercussões futuras que poderão afetar a saúde? Que consideração terá o PCP para com os nossos profissionais de saúde? O Presidente de Camara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, deixou claro que assumiria todas as responsabilidades da Festa do Avante, o PCP fará o mesmo?; Serão responsabilizados criminalmente, caso se venha a confirmar um grande surto?; Sendo permitindo, a venda de bebidas alcoólicas no interior do recinto, estando entre os presentes muitos jovens que encaram o Avante como um festival, como podem garantir que as normas da DGS sejam cumpridas? E o que será considerado como refeição para permitir o consumo de bebidas alcoólicas depois das 20h?; Sabiam que o Hospital Garcia de Orta já tem dois planos desde Julho? Um pré avante e outro pós avante? Qual será o motivo?; Qual a justificação para a permissão para a entrada e saída do recinto mais do que uma vez? Como será feito esse controlo? Não seria mais benéfica a entrada ser única?; Uma vez que o PCP alega não fazer este festival por uma questão monetária, será que a parte ou a totalidade do lucro da festa será revertido para alguma Instituição de solidariedade social, no combate/apoio a covid-19?».

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui