Seixal

Câmara do Seixal apresentou queixa por crime ambiental contra a Simarsul

- publicidade -

No dia 29 de Junho, o Diário do Distrito noticiou o descontentamento da população relativa aos despejos na Baia da o Seixal, ao que tudo indica originários da Estação Elevatória do Porto da Raposa, na Arrentela.

Os maus cheiros e a poluição de lixiviados lançados para o rio Judeu, motivaram um pedido de esclarecimento à SIMARSUL, gestora da estaçção elevatória, que na altura respondeu que efectua «limpezas regulares, de caracter preventivo, dos poços de bombagem das Estações Elevatórias. As limpezas realizadas, apesar dos impactes ambientais indesejáveis, constituem operações absolutamente necessárias em sistemas de saneamento.»

Também contactada na altura, a Câmara Municipal do Seixal respondeu entretanto ao Diário do Distrito informando que «enviou nova comunicação à SIMARSUL – empresa multimunicipal do Estado a quem a autarquia paga mais de 5 milhões de euros por ano para o tratamento de esgotos, não para o seu lançamento na Baía do Seixal ou noutro local».

A autarquia considera que este «é mais um crime ambiental cometido pela SIMARSUL que merece o nosso repúdio e já motivou uma queixa crime junto da Inspeção Geral de Ambiente (IGAMAOT)».

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui