DestaqueDistrito SetúbalJustiçaPalmelaQuinta do Anjo
Em Destaque

Burlaram cinco famílias com casa alheia

GNR de Palmela investiga o caso. Moradia utilizada para burlas estava ao abandono há mais de 20 anos.

- publicidade -

Pelo menos cinco famílias foram burladas através de um arrendamento ao ano de uma moradia no Bairro dos Marinheiros, em Palmela, apurou o Diário do Distrito.

A burla aconteceu em julho mas a história tem contornos que ainda estão a ser investigados pelas autoridades.

Segundo os vizinhos, a moradia estava desabitada há mais de 20 anos quando os burlões se ocuparam da mesma, fazendo-se passar pelos novos proprietários da residência. A família era composta por, pelo menos, um casal e três crianças, todas menores de idade, e um cão.

Sabe o Diário do Distrito que os burlões contaram aos vizinhos que teriam comprado o lote com duas moradias germinadas. Seriam emigrantes da Holanda e alegaram o regresso a Portugal devido à pandemia. No entanto, o enredo da história ia sofrendo alterações consoante os moradores com quem conversavam.

De acordo com o que conseguimos apurar, começaram por ocupar a moradia no final de abril. Segundo os vizinhos terão feito a mudança durante a noite. De abril a julho viveram na habitação e apesar de terem feito algumas puxadas, entretanto já canceladas pelos serviços municipais, conseguiram instalar operadora de serviço de televisão.

No início de julho, foram vistos a mostrar uma das casas a várias famílias e foram questionados pelos vizinhos se iam vender novamente uma vez que eram recém-chegados ao bairro. Os burlões alegaram que iam regressar para o país onde trabalhavam e que iriam arrendar as moradias.

Colocaram um anúncio no OLX, em que anunciavam o arrendamento ao ano por 650€. Dias depois, toda a família desapareceu sem deixar rasto. Para trás ficaram, pelo menos, cinco famílias lesadas. Para algumas delas o prejuízo foi mais elevado, já que perderam o valor da caução e da renda. Ao todo, as burlas terão rendido perto de 5 mil euros.

Ao que o Diário do Distrito apurou, as vítimas só perceberam a dimensão da burla no dia em que teriam combinado com os burlões a entrega da chave. Várias famílias cruzaram-se na moradia à procura dos falsos senhorios.

Entre os lesados estão famílias portuguesas e estrangeiras. À GNR foram apresentadas pelo menos cinco queixas contra a burlona, que deu a cara pela burla.

Uma das vítimas expôs o caso nas redes sociais, mas não aceitou dar entrevista.

O caso está nas mãos da GNR, que em sua posse tem os dados pessoais dos burlões, ainda que alguns documentos que tenham sido entregues às vítimas sejam falsos. Dois meses depois, os burlões ainda não foram identificados. Ao que tudo indica serão naturais e residentes na Margem Sul do Tejo.

As autoridades investigam os contornos do caso. Entre as linhas de investigação está a ser analisado o envolvimento de consultores imobiliários no esquema e a ocupação de casas abandonadas para fins criminosos.

- publicidade -

Artigos Relacionados

comentário

  1. Venho informar que já estão mais um família com 3 ou 4 filhos que ocoparam a casa em rua esperança esta mesmo que está na foto arrombaram a casa pelas traseiras que eu vi de minha casa pois vivo nas traseiras e levaram um senhor de uma casa de chaves de Cascais que eu até liguei para o número e disseram ao senhor que tinham perdido as chaves todas e pagaram para ele arrebentar a fechadura e depois limparam toda a casa e mudaram se a dizer que tem contrato desses burloes e nem pagavam água até eu fazer várias queixas e luz também pois tudo estava ligado direto e agora já aqui moram há 5 mêses ou 6 e ninguém os tira dali até alarme colocaram com medo de as pessoas que ajudaram a burlar venham lá e partam tudo como já haviam feito um casal que queria o dinheiro deles e a polícia não faz nada para estes ladrões de propriedades e moram no meio de pessoas boas e já com muita idade façam alguma coisa para prenderem está gente toda por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo