Alcácer do SalGrândolaSantiago do CacémSines

Bombeiros começaram hoje a ser vacinados no litoral alentejano

- publicidade -

Os bombeiros do litoral alentejano começaram hoje a ser vacinados contra a covid-19, com a primeira dose administrada a cerca de 160 operacionais, revelou a Federação dos Bombeiros do distrito de Setúbal.

O processo de vacinação, que arrancou na última sexta-feira, a norte do distrito de Setúbal, decorre terça e quarta-feira no Hospital do Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, e engloba as corporações dos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

tarot terapêutico

Em declarações à agência Lusa, o presidente da federação, João Ludovico, explicou que nesta primeira fase da vacinação, apenas, metade do dispositivo será inoculado com a primeira dose da vacina da Astrazeneca.

“Entre hoje e amanhã [quarta-feira] iremos vacinar cerca de 160 bombeiros do litoral alentejano, incluindo Odemira e Vila Nova de Milfontes, que fazem parte da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA). [A operação] arrancou esta manhã, às 09:00, com a vacinação de bombeiros no hospital”, explicou.

O dirigente reconhece que é “um número insuficiente” de bombeiros abrangidos nesta fase da vacinação, embora note tratar-se de “um sinal positivo” para o dispositivo que está na linha da frente no combate à covid-19.

“É um número insuficiente para aquilo que é necessário, mas já é um sinal positivo e esperamos que a segunda fase para os outros 50% em falta chegue em breve para que os restantes bombeiros que estão na linha da frente no combate à pandemia e na resposta ao socorro e ao transporte de doentes possam receber a sua vacina”, acrescentou.

João Ludovico lamenta, no entanto, que o início da vacinação aos bombeiros se tenha arrastado no tempo quando são “estes profissionais que dão resposta a 95% do socorro às populações”.

“Foi um processo bastante longo. A federação sempre defendeu que os bombeiros deveriam ter sido vacinados na mesma altura que os profissionais de saúde e até do INEM porque não podemos esquecer que os bombeiros fazem 95% do socorro às populações, têm estado envolvidos nos grupos que têm feito a transferência de doentes covid para os hospitais, entre outros, por isso esta vacinação peca por tardia”, lamentou.

O presidente da federação, disse ainda que o processo “tem sofrido alguns constrangimentos” com “trocas dos dias que estão marcados” para a vacinação dos bombeiros, e espera que “agora possa fluir” e “que a vacinação dos restantes 50% avance o mais rapidamente possível para termos os bombeiros protegidos”.

Segundo o responsável, está previsto vacinar um total de 808 bombeiros das corporações do distrito de Setúbal nesta fase do Plano Nacional de Vacinação.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui