Desporto

B SAD já conhece adversários na II Distrital de Setúbal

O clube de Rui Pedro Soares já sabe que defrontará clubes da Península setubalense como o Pinhalnovense, Cova da Piedade, Vinhense, Melidense, União SC, Seixal 1925, Quinta do Conde, Samouquense, Almada, Paio Pires, Sesimbra, Zambujalense, Os Pelezinhos, Barreirense B e Estrela de Santo André.

Depois de uma cronologia de vários anos que afetou o futebol português, a B SAD desceu mesmo à II Divisão Distrital.

Recentemente, o Cova da Piedade e a B SAD anunciaram que o acordo para a criação de uma nova sociedade desportiva está anulado, depois das esperanças de ainda jogarem na II Liga terem esbarrado na decisão do TAD. Esta é a linha temporal de um projeto que nasceu quando, em finais de 2012, a Codecity de Rui Pedro Soares comprou 51% da SAD do Belenenses. Daí para cá, muitas polémicas.

Em dezembro de 2012, a Codecity, empresa de Rui Pedro Soares, antigo administrador da PT, compra 51% das ações da SAD do Belenenses, aprovada pelos sócios em Assembleia Geral. Para lá da compra, é celebrado um acordo parassocial, que permite ao clube fundador manter alguns direitos especiais e o direito de recompra das ações, com preços e datas fixadas, em duas janelas temporais, a última das quais entre outubro de 2017 e janeiro de 2018.

Saltando para 14 de maio de 2014, a SAD denuncia unilateralmente o contrato com o clube, alegando, entre outras violações, dívidas do clube à SAD. Clube acusa SAD de querer evitar a recompra das ações.

Em novembro de 2017, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu razão à Codecity, considerando válida a denúncia do acordo parassocial com o Belenenses, acabando assim com a possibilidade do clube recomprar os 51% das ações da empresa de Rui Pedro Soares.

Indo ao dia 30 de junho de 2018, acabou o acordo entre Belenenses Clube e SAD, que se tornaram definitivamente duas entidades distintas. Clube cria equipa de futebol sénior, que começa a jogar nas distritais de Lisboa. Por ter a licença de participação, SAD continua a jogar na I Liga, sob a denominação Belenenses SAD, passando a jogar no Estádio do Jamor.

Saltando para 7 de março de 2019, o Tribunal da Relação confirmou uma providência cautelar interposta pelo Belenenses clube e Belenenses SAD é impedida de usar o símbolo, hino e lema do Belenenses. Dias depois, a SAD estreia o novo emblema, num jogo contra o Benfica. Meses volvidos, o Belenenses clube informa a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Liga que a SAD deixa de poder usar a designação “Belenenses” no seu nome. A partir daí, a Belenenses SAD passa a ser designada por B SAD. O processo arrasta-se nos tribunais.

No final de 2021, um dos dias mais surreais na história do futebol português nos últimos anos, a B SAD entrou em campo com apenas nove jogadores para o encontro da 12.ª jornada da I Liga, após um surto de covid-19 no plantel. Benfica marca sete golos na 1.ª parte e encontro acaba aos 48 minutos, depois de vários jogadores da B SAD deixarem o jogo com problemas físicos.

Já em maio de 2022, a B SAD desceu à II Liga, após um nulo frente ao Arouca na última jornada do campeonato. 6 de agosto de 2022 — B SAD joga pela primeira vez na II Liga, com uma derrota por 3-2 frente ao Trofense.

A 3 de março do presente ano, os sócios do Cova da Piedade aprovaram um acordo com a Codecity válido para a temporada seguinte, em que a B SAD se passaria a designar por Clube Desportivo Cova da Piedade — Futebol SAD, com direito a utilizar as instalações do clube, mudando-se assim a estrutura para a margem sul do Tejo.

3 meses depois, a B SAD perdeu com o Länk Vilaverdense no play-off de permanência/descida da II Liga, confirmando a segunda despromoção consecutiva. A Liga 3 foi o destino. Apenas 2 semanas depois, a FPF não aceitou o licenciamento da fusão entre a B SAD e o Cova da Piedade, que ficam assim impedidos de jogar na Liga 3 ou qualquer competição organizada pela federação.

A exclusão torna-se oficial a 13 de julho, mas decorre ainda no TAD uma providência cautelar interposta contra o Länk Vilaverdense, que poderá ainda permitir à nova estrutura jogar na II Liga, já que está licenciada pela Liga Portugal.

Mais recentemente, a 10 de agosto de 2023, o TAD indeferiu uma providência cautelar apresentada pelo Cova da Piedade/B SAD contra o processo de licenciamento do Länk Vilaverdense, que confirmou assim o seu lugar na II Liga, pelo menos para esta época. O Cova da Piedade SAD terá, assim, de jogar nas divisões distritais da Associação de Futebol de Setúbal.

Volvida uma semana, o Cova da Piedade e a entidade Codecity anunciam a revogação do acordo feito em março para a criação de uma nova sociedade desportiva. O Cova da Piedade, em comunicado, frisa que “não estavam reunidas as condições para continuar o projeto em comum”, após esgotadas todas as via para continuar tanto na Liga 3 como na II Liga. O Cova da Piedade inscreverá equipa sénior na 2.ª divisão distrital de Setúbal. O futuro da estrutura da Codecity ainda é desconhecido.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *