AtualidadePolíticaSeixal

‘Avante foi um grande êxito e não um suicídio colectivo’ garante Jerónimo de Sousa

- publicidade -

O secretário-geral do PCP defendeu hoje que a Festa do Avante! foi um «grande êxito político e um evento que serviu de exemplo a outros partidos comunistas na Europa, apesar de muitos a quererem impedir dizendo tratar-se de um suicídio coletivo».

Num encontro do partido, no Porto, Jerónimo de Sousa afirmou que a pandemia da covid-19 tem «as costas largas e, em seu nome, pensaram em proibir as comemorações institucionais e populares do 25 de abril e do Dia do Trabalhador, a 01 de maio, tendo sido a Festa do Avante! o alvo preferencial, , melhor dizendo, o PCP.

Juntaram-se todos num arrepiante discurso terrorista, argumentando de que isto ia ser o fim do mundo, de que íamos alegremente para o suicídio coletivo, eu sei lá as barbaridades que não disseram, desde o Presidente da República até a este ou aquele pequeno partido”, afirmou o líder comunista.

Numa avaliação da Festa do Avante!, Jerónimo de Sousa afirmou que «o PCP demonstrou sentido de responsabilidade, coragem e determinação, características que fizeram com que o Avante! fosse em condições tão difíceis um grande êxito político que serviu de exemplo para muitos partidos comunistas na Europa.

Se o PCP não realizasse a festa, neste momento, estaria a discutir-se uma coisa bem pior”, designadamente o congresso do partido» acrescentou.

A 44.ª edição da Festa do Avante!, na Quinta da Atalaia, Amora, decorreu entre 4 e 6 de setembro, num ano em que o evento político-cultural foi muito restringido pelas regras sanitárias devido à pandemia de covid-19, e envolto em várias polémicas, como um movimento de comerciantes que encerraram as suas portas nesses dias e também uma marcha lenta que contou com mais de uma centena de participantes.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo