coronavírusSesimbra

Autarquia quer abertura ‘urgente’ do Centro de Vacinação de Sesimbra

- publicidade -

A Câmara Municipal de Sesimbra confrontou esta sexta-feira, uma vez mais, o Agrupamento de Centros de Saúde Arrábida sobre a necessidade urgente de abertura do Centro de Vacinação de Sesimbra, que se encontra preparado desde o dia 2 de março, na Sala de Desporto da Piscina Municipal, de acordo com as orientações para implementação destes equipamentos.

Na nota enviada à comunicação social, «neste momento, há apenas um Centro de Vacinação no concelho, situado no Pavilhão Municipal da Quinta do Conde, também instalado pela Câmara Municipal, o que obriga os munícipes das freguesias de Santiago e Castelo a fazerem uma viagem de cerca de 20 quilómetros até à Quinta do Conde».

A autarquia refere ainda que «muitos munícipes que estão a ser chamados para vacinação são idosos e de grupos de risco, que não conseguem garantir transportes em condições de segurança, o que tem obrigado a um enorme esforço das juntas de freguesia e Câmara Municipal», relembrando que «no atual contexto, um veículo de 9 lugares consegue transportar, no máximo três utentes».

A situação tem «gerado imensos protestos, que acabam por recair sobre a Câmara Municipal, entidade que não tem responsabilidade no processo de vacinação e que para além de ter instalado um centro em Sesimbra, propôs um planeamento semanal da equipa de vacinação entre os dois centros, de acordo com a quantidade de vacinas disponíveis».

A Câmara Municipal mostrou-se ainda disponível para assegurar o equipamento informático que eventualmente venha a ser necessário, e para qualquer apoio em termos logísticos e de recursos humanos, inclusive de enfermeiros que se disponibilizaram voluntariamente, e está a apoiar no transporte de utentes, em articulação com as juntas de freguesia.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui