DistritoDistrito SetúbalMontijo

Autarquia e CCRPI do Montijo assinam protocolo para Centro de Emergência Social

Montijo vai contar com um Centro Autárquico de Acolhimento de Emergência Social (CAAES).

publicidade

A Câmara Municipal do Montijo e o Centro de Convívio Reformados, Pensionistas e Idosos do Montijo assinaram hoje, 18 de setembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o protocolo de colaboração para a instalação e gestão do Centro Autárquico de Acolhimento de Emergência Social (CAAES).

Esta será uma nova resposta municipal, destinada a situações de emergência social resultantes das necessidades de realojamento imediatas e urgentes de indivíduos adultos ou famílias em situação de maior vulnerabilidade social. O CAAES está a ser instalado num apartamento tipologia T4, no Bairro do Esteval, e estará em funcionamento no início do mês de outubro.

Tal como mencionou o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, o CAAES encerra em si uma resposta “que poucos municípios no país e no distrito de Setúbal dispõem no âmbito do acolhimento de emergência.

Uma valência que enriquece e dignifica as nossas respostas sociais e que, muitas vezes, é solicitada pelas pessoas, algo que foi sendo mais visível com a pandemia de covid-19”.

O autarca agradeceu “a coragem e disponibilidade” do Centro de Reformados do Montijo para “aceitar este desafio”, agradecimento que foi retribuído pelo presidente da associação, Manuel Rocha, que salientou “a confiança da Câmara na nossa instituição.

Vai ser um trabalho muito exigente, mas vamos dar o nosso melhor para cumprir o objetivo da criação do CAAES”.

Para além da cedência do apartamento, nos termos do protocolo, a câmara assegura os custos de equipamento do espaço, a sua manutenção e as despesas de água e energia elétrica e afecta também um apoio financeiro anual de dois mil euros ao Centro de Reformados para outras despesas.

O Centro de Reformados assume a responsabilidade da gestão do espaço, fazendo cumprir as regras que garantem o convívio coletivo. Como esta é uma resposta provisória – tendencialmente 3 meses, prorrogáveis – deve ainda apoiar e acompanhar os utentes no seu percurso de autonomização.

Fonte: Câmara Municipal do Montijo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui