Sesimbra

Autarquia avança com recuperação da Capela de São Sebastião em Sesimbra

- publicidade -

A Câmara Municipal de Sesimbra adjudicou a obra de reabilitação da Capela de São Sebastião, junto ao cemitério, na vila de Sesimbra, num investimento suportado pelo orçamento municipal.

Esta obra vem no seguimento de outras realizadas em património edificado do concelho como a Fortaleza de Santiago, o Castelo de Sesimbra, a Casa do Bispo, a Casa da Água do Cabo Espichel ou o Aqueduto do Cabo, cuja obra está em curso.

Construída no século XV, a Capela de São Sebastião é um dos edifícios mais antigos da vila de Sesimbra.

Em 1911, mediada pela lei da separação dos bens da Igreja, acabou por ser entregue à Câmara Municipal, tendo passado a funcionar como armazém de apoio ao cemitério e como viveiro municipal de jardinagem.

Sem qualquer intervenção de caráter estrutural desde a sua construção, o edifício foi-se degradando e, hoje, encontra-se em avançado estado de ruína, apresentando-se sem cobertura, e com paredes estruturais instáveis.

Junto ao edifício principal surgirá uma nova capela mortuária, que substituirá as atuais instalações anexas à capela da Santa Casa da Misericórdia, no Largo 5 de Outubro.

Com base nestes pressupostos, na nave e na capela-mor a intervenção contempla a consolidação estrutural de todas as paredes e novos revestimentos, reposição do arco em cantaria para capela-mor, execução da cobertura em telha tradicional com o teto interior em madeira, restauro das cantarias do portal, coro alto e cunhais, e execução de novo pavimento tradicional.

Na zona de receção e nova capela mortuária está ainda prevista a criação de uma área funerária alternativa com uma estrutura metálica ligeira e reversível.

No anexo nascente será criada uma área de apoio logístico às atividades e, no logradouro nascente, um pequeno jardim interior com vista sobre o vale e a vila. A reabilitação da Capela está orçada em cerca de 802 mil euros, e beneficia de uma comparticipação financeira de 225 mil euros, por parte do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, no âmbito de uma candidatura apresentada pela Câmara Municipal ao Programa Operacional Regional de Lisboa 2020.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui