DesportoSetúbal

Autarcas da Câmara de Setúbal exigem reunião com presidente da Liga sobre Vitória FC

Conheça a carta enviada ao presidente da Liga

publicidade

A presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, enviou ao presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, uma carta subscrita por todos os vereadores (presentes na última reunião de câmara) com um pedido de reunião com carácter de urgência.

Os eleitos pretendem ainda que o presidente da Liga «afirme publicamente a necessidade de o Tribunal Arbitral do Desporto se pronunciar em tempo útil para que, consoante a decisão judicial, possa, ou não, ao Vitória Futebol Clube ser reconhecido o direito de participar nas competições profissionais da próxima época futebolística».

A edil publicou o texto integral da carta no seu perfil do Facebook, na qual se declara «na dupla qualidade de executivo da Câmara Municipal de Setúbal e de representantes de todos os que partilham incondicional admiração pelo Vitória Futebol Clube, instituição centenária e um dos mais destacados símbolos desportivos do nosso país».

Nesta carta a autarca reforça também «a profunda tristeza dos setubalenses com a decisão da Liga Portugal de excluir o Vitória Futebol Clube das competições profissionais, mesmo sabendo-se que o clube sadino ganhou no campo esse direito e que possuía condições mais do que suficientes para que a sua inscrição fosse aceite, condições que seriam formalizadas rapidamente, não se desse o caso de vivermos um período de apertadas e complexas restrições impostas pelo estado de pandemia».

A missiva não deixa de criticar também algumas declarações de Pedro Proença à comunicação social como as de que «nas competições profissionais, ‘não está quem quer, mas quem pode’. Na verdade, está já o senhor presidente da Liga a determinar que o VFC não pode estar nas competições profissionais (numa quebra de imparcialidade a que está obrigado e que estranhamos), quando, como sabemos, está pendente ainda uma decisão do TAD sobre esta matéria, o tribunal que, esse sim, deve determinar se pode ou não o Vitória participar nos campeonatos de futebol profissional.

Lamentamos e condenamos tais declarações proferidas na sua qualidade de presidente da Liga Portugal e sugerimos que o senhor presidente afirme publicamente a necessidade de o TAD se pronunciar em tempo útil para que, consoante a decisão judicial, possa, ou não, ao Vitória Futebol Clube ser reconhecido o direito de participar nas competições profissionais da próxima época futebolística.»

A carta é subscrita pela presidente e pelos vereadores Manuel Pisco, Carlos Rabaçal, Carla Guerreiro, Pedro Pina, Ricardo Oliveira, Fernando Paulino, Paulo Lopes, Nuno Carvalho e Fernando José.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui